quarta-feira, 13 de março de 2019

“MITCHELTON-SCOTT VENCE ‘CRONO’ POR EQUIPAS DO TIRRENO-ADRIÁTICO”

A UAE-Emirates, com Rui Costa, terminou na 14.ª posição, a 1.19 minutos da vencedora.

A equipa australiana Mitchelton-Scott venceu hoje a primeira etapa da prova velocipédica italiana Tirreno-Adriático, um contrarrelógio coletivo, que deixou na liderança o australiano Michael Hepburn.

Os quatro primeiros do sexteto da Mitchelton-Scott cumpriram os 21,5 quilómetros em 22.25 minutos, menos sete segundos do que a Jumbo-Visma e menos 22 do que a Sunweb, segunda e terceira classificadas, respetivamente.

A UAE-Emirates, com Rui Costa, terminou na 14.ª posição, a 1.19 minutos da vencedora, à frente da Movistar, de Nelson Oliveira, que foi 15.ª, a 1.32. A Katusha-Alpecin, com Ruben Guerreiro e José Gonçalves, foi 17.ª, ao gastar mais 1.38.

Hepburn lidera a corrida, com o mesmo tempo dos companheiros de equipa Brent Bookwalter, Luke Durbridge e Adam Yates.

O contrarrelógio inaugural da 54.ª edição da corrida italiana ficou marcado pela queda do italiano Oscar Gatto e do polaco Rafal Majka, ambos da Bora-hansgrohe, após um embate com um peão, que atravessou a estrada durante a passagem da equipa alemã, apesar das advertências gestuais de um polícia no local.

Os dois corredores prosseguiram em prova, apesar de algumas mazelas, enquanto a pessoa que foi atropelada por Gatto e Majka foi transportada para um hospital da região, sem que o estado de saúde inspirasse cuidados de maior, segundo o jornal italiano Gazzetta dello Sport.

A Bora-hansgrohe não foi além do 19.º lugar no ‘crono’, a 1.57 minutos da equipa vencedora.

Na quinta-feira, o pelotão vai enfrentar os 195 quilómetros, entre Camaiore e Pomarance, numa segunda etapa com três contagens de montanha.

Fonte: Sapo on-line

“Magnus Cort vence 4.ª etapa do Paris-Nice e Kwiatkowski sobe à liderança”

Novo líder da geral terminou ronda na 10.ª posição

Por: Lusa

Cort atacou a 400 metros da meta e concluiu em 5:03.49 horas a tirada entre Vichy e Pélussin • Foto: EPA

O ciclista dinamarquês Magnus Cort (Astana) venceu esta quarta-feira a 4.ª etapa do Paris-Nice, que permitiu ao polaco Michal Kwiatkowski (Sky) ascender à liderança da prova, desalojando o holandês Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma).

Cort atacou a 400 metros da meta e concluiu em 5:03.49 horas a tirada entre Vichy e Pélussin, na extensão de 210,5 quilómetros, com sete segundos de vantagem sobre o belga Thomas de Gendt (Lotto Soudal) e 13 sobre o italiano Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Kwiatkowski terminou na 10.ª posição, num grupo que chegou 48 segundos depois do vencedor, subindo à liderança da classificação geral, com cinco segundos de vantagem sobre o espanhol Luis León Sanchez, colega de Cort na Astana, e 10 sobre o belga Philippe Gilbert (Deceuninck-QuickStep).

Groenewegen, que tinha vencido as duas primeiras etapas, terminou no 130.º lugar, com 22.32 minutos de atraso, caindo da liderança para o 85.º posto, em contraponto com o português Amaro Antunes (CCC), que subiu da 102.ª para a 38.ª posição, a 11.14 do novo camisola amarela, depois de hoje ter terminado em 29.º, 48 segundos depois do vencedor.

Na quinta-feira disputa-se a quinta das oito etapas do Paris-Nice, o único contrarrelógio individual da 77.ª edição da prova francesa, com partida e chegada em Barbentane, na extensão de 25,5 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Telmo Pinão à procura do top 10 no Mundial de Paraciclismo em pista”

Por: José Carlos Gomes

O português Telmo Pinão participa, quinta e sexta-feira, no Campeonato do Mundo de Paraciclismo em Pista, que vai realizar-se em Apeldoorn, Holanda.

Depois de ter competido nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro na vertente de estrada, o paraciclista de Montemor-o-Velho está agora a envolver-se cada vez mais na pista, sendo o Mundial desta semana a prova mais importante da sua carreira na pista até ao momento.

Telmo Pinão vai competir em duas disciplinas, perseguição individual e 1 km contrarrelógio. A ambição é conseguir registos que lhe permitam colocar dentro do top 10, numa competição em que se espera a participação de mais de 20 corredores na classe C2, aquela em que alinha o português.

Em janeiro, o paraciclista da Equipa Portugal competiu no torneio internacional de Manchester, Inglaterra, conseguindo o sétimo lugar no quilómetro e o oitavo nos três mil metros de perseguição.

“O nível no Campeonato do Mundo é muito mais elevado, estarão presentes todos os melhores paraciclistas do panorama internacional e alguns faltaram em Manchester. No entanto, o Telmo tem vindo a treinar e a fazer testes em pista e os tempos que consegue atualmente são melhores do que os registos que tinha em janeiro. Por isso, a nossa ambição é o top 10”, explica o selecionador nacional de paraciclismo, José Marques.

O corredor português começará com a perseguição individual, amanhã, cerca das 12h00. Caso consiga a qualificação, disputa as finais por volta das 19h00. No dia seguinte tem a prova de 1 km contrarrelógio em redor das 13h00.

Fonte: FPC

“Ciclismo em força na BTL”

Por: José Carlos Gomes

A ligação entre o ciclismo e as atividades turísticas de recreio e de lazer é cada vez mais forte. Isso mesmo está patente na forte presença da modalidade na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre na FIL, até domingo.

Todos os dias haverá atividades ligadas ao ciclismo. A Federação Portuguesa de Ciclismo destaca aquelas que em está diretamente envolvida, através dos acordos estabelecidos com diferentes entidades.

Um dos acontecimentos com presença mais vincada na BTL é a Semana Europeia de Cicloturismo, que a Federação Portuguesa de Ciclismo organiza, entre 29 de junho e 6 de julho, nas Aldeias Históricas, tendo Belmonte como centro nevrálgico.

A Semana Europeia de Cicloturismo será apresentada, durante a BTL, no espaço do Turismo do Centro, hoje, às 18h00, e no espaço das Aldeias Históricas de Portugal, às 15h00 do próximo sábado. Entre hoje e domingo, será uma das atividades em destaque na área da Câmara Municipal de Belmonte, onde estará disponível toda a informação e haverá passatempos relacionados com ciclismo.

Amanhã, entre as 14h00 e as 15h00, estará em destaque a Região de Turismo do Algarve, em cuja apresentação não faltarão imagens que recordam acontecimentos de referência, como a Volta ao Algarve e o Algarve Granfondo Cofidis.

Também amanhã, mas às 16h30, as Aldeias do Xisto vão apresentar o programa Cyclin’Portugal Aldeias do Xisto, conjunto de realizações velocipédicas que inclui a Clássica Aldeias do Xisto (1 de maio), o Campeonato da Europa de DHI (2 a 5 de maio), o Granfondo Licor Beirão (19 de maio) e o Granfondo Aldeias do Xisto (29 de setembro).

O Campeonato da Europa de Downhill terá uma apresentação específica, às 17h00 do próximo domingo, no espaço da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra.

Além dos eventos que envolvem diretamente a Federação Portuguesa de Ciclismo, a velocipedia estará distribuída por todo o certame, sendo possível encontrar informações sobre eventos de massas, centros de BTT e turismo em bicicleta.

Fonte: FPC

“Alcobaça Clube de Ciclismo/Juniores do Alcobaça em Castelo Branco”

Por: Joaquim Marques

Dois atletas no lote dos trinta primeiros foi o resultado alcançado pelo Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola na 1ª Prova da Taça de Portugal de Juniores, disputada no passado domingo, em Castelo Branco.

Num pelotão de 105 atletas em representação de 18 equipas a formação alcobacense viu Gabriel Casal alcançar o 28º lugar e Miguel Correia ficar na 30ª posição numa prova em que a equipa se apresentou com apenas quatro corredores, fruto de alguns condicionalismos de início de época.

Com dois atletas nos trinta primeiros e dois fora de controlo, o Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola não pontuou na classificação por equipas. Para o Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola e atendendo a alguns condicionalismos “o resultado enquadra-se dentro das previsões”.

A corrida de 105 quilómetros apresentava um traçado sinuoso, com muito sobe e desce que causou um natural desgaste no pelotão que se fragmentou em pequenos grupos com um número significativo de corredores a desistir ou a chegar fora de controlo.

No primeiro confronto da época as equipas avaliavam-se mutuamente e ninguém quis assumir o comando da corrida o que levou os potenciais candidatos à vitória a deixarem escapar a liderança da Taça para um corredor de Viseu.

No ano anterior alinharam na primeira prova da Taça 146 corredores e este ano o pelotão contou com apenas 105 jovens ciclistas o que revela uma quebra significativa.

Fonte: Alcobaça Clube de Ciclismo