sábado, 25 de agosto de 2018

“Vuelta/Rohan Dennis vence contrarrelógio e lidera”

Nélson Oliveira quarto na primeira etapa

Por: Lusa

Foto: Getty Images

O australiano Rohan Dennis (BMC) venceu este sábado a primeira etapa da Volta a Espanha em bicicleta, um contra-relógio individual de oito quilómtros disputado nas ruas de Málaga, no qual o português Nélson Oliveira foi quarto.

Dennis, que vai vestir a camisola vermelha de líder da Vuelta pela segunda vez na sua carreira, cumpriu a distância em 9.39 minutos, tendo superado o polaco Michal Kwiatkowski (Sky) por seis segundos e o belga Victor Campanaerts (Lotto-Soudal) por sete, segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Nélson Oliveira, que ainda esteve durante algum tempo com o melhor registo do dia, acabou ultrapassado e finalizou o exercício individual na quarta posição, com mais 17 segundos.

Fonte: Record on-line

“Luta pela Vuelta começa em Málaga”

Não há Froome nem Thomas, mas arrancou hoje um lote de luxo que promete dar espetáculo

Por Diogo Jesus

Foto: EPA

Acabou a espera! Já começou hoje a Vuelta, com vários ciclistas a prometerem dar espetáculo durante os 3.254 quilómetros, ao longo de 21 etapas. Sem contar com o vencedor do ano anterior, Chris Froome, nem do seu colega de equipa da Sky, Geraint Thomas, surgem muitos candidatos a chegar com a camisola vermelha a Madrid, a 16 de setembro.

Na linha da frente pela conquista do título da 73ª edição da Vuelta está Vincenzo Nibali, corredor da Bahrain-Merida que envergará o dorsal número um, face à referida ausência de Froome. Pressão acrescida para o italiano de 33 anos? "Nada disso! O meu objetivo passa por ser protagonista em várias etapas e contribuir para o espetáculo", admitiu o vencedor da edição de 2010 e segundo classificado em 2013 e em 2017.

Mas há mais homens fortes, candidatos à sucessão de Froome e, no lote dos favoritos, estão mais três anteriores vencedores da Vuelta: o colombiano Nairo Quintana (2016), o italiano Fabio Aru (2015), o espanhol Alejandro Valverde (2009). Nas casas de apostas surgem ainda outros nomes, como Richie Porte (BMC) e o britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott).

Depois de o Tour não ter contado com representantes portugueses, a Vuelta tem quatro lusos na estrada: Nelson Oliveira (Movistar), José Mendes (Burgos) e José Gonçalves e Tiago Machado (ambos da Katusha).

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Maria Martins a seis pontos do pódio em omnium”

Por: José Carlos Gomes

A portuguesa Maria Martins foi hoje a quarta classificada no concurso olímpico de omnium para sub-23 do Campeonato da Europa de Pista, em Aigle, Suíça. Miguel do Rego foi o 11.º no setor masculino.

Maria Martins esteve na discussão das medalhas até ao último sprint da corrida por pontos, a quarta e última prova pontuável para o concurso de omnium. A portuguesa foi a terceira classificada nesse sprint, cedendo a medalha de bronze à britânica Megan Barker, primeira a passar na meta na última volta da corrida.

A corredora ribatejana esteve sempre na luta pelos medalhas, fazendo um concurso de grande nível, confirmando entre as sub-23 o motivo por que conseguiu um excelente nono lugar no Campeonato da Europa de Elite, no início do mês.

Maria Martins iniciou o omnium com o quinto lugar em scratch, venceu a corrida tempo e foi a terceira em eliminação, entrando para a corrida por pontos no segundo lugar da geral. Na corrida decisiva, a ciclista da Equipa Portugal pontuou em cinco dos dez sprints pontuáveis, mas não foi suficiente para se manter no pódio.

A medalha de ouro foi para a italiana Letizia Paternoster, com 136 pontos, a de prata para a alemã Franziska Brausse, com 132, e a de bronze para britânica Megan Barker, com 129. Maria Martins somou 123 e ficou no quarto posto.

Miguel do Rego acabou o concurso masculino de sub-23 masculinos no 11.º lugar, com 66 pontos. A vitória foi para o britânico Ethan Hayter, com 175 pontos, seguido pelo alemão Moritz Malcharek, com 124, e pelo russo Sergei Rostovtsev, com 102.

O júnior Guillaume Couto também competiu no último dia de Europeu com presença portuguesa, conseguindo um importante sétimo lugar na corrida por pontos. O português fechou a prova com 25 pontos. O vencedor foi o holandês Yanne Dorenbos, com 65 pontos, mais seis do que o segundo classificado, o grego Panagiotis Karasivis, e mais 18 do que o terceiro, o bielorrusso Dzianis Mazur.

Fonte: FPC

“Volta a Portugal de Juniores Liberty Seguros”

Guilherme Mota sai de amarelo da jornada dupla

Por: José Carlos Gomes

O campeão nacional de contrarrelógio, Guilherme Mota (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), é o novo camisola amarela da Volta a Portugal de Juniores Liberty Seguros, depois da jornada dupla hoje realizada.

O corredor da equipa alcobacense chegou ao comando graças ao tempo-canhão que lhe valeu o triunfo no primeiro setor da etapa, um contrarrelógio de 15,9 quilómetros, disputado no Sabugal. Guilherme Mota foi o único corredor a cumprir o percurso em menos de 23 minutos, completando o exercício individual em 22m41s. O segundo classificado foi o espanhol Ivan Cobo (Aseguras/Produque), a 22 segundos, e o terceiro Pedro Pinto (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel), a 49 segundos.

Depois do contrarrelógio, o pelotão voltou à estrada na tarde de hoje para percorrer 59,2 quilómetros, entre o Sabugal e Almeida. Numa tirada essencialmente plana, na qual o calor foi o maior adversário, o pelotão rolou compacto, durante grande parte da viagem, não se deixando quebrar pelas pequenas escaramuças que se verificaram.

A chegada foi ao sprint, com a vitória a ser disputada numa velocidade alucinante. Pedro Silva (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) foi o mais veloz, relegando Miquel Moncho (Ginestar-Ulb) para o segundo lugar e Diogo Ribeiro (Sporting/Tavira/Formação Eng. Brito da Mana) para o terceiro posto.

Feitas as contas à jornada dupla, Guilherme Mota está na dianteira da classificação geral, com 8 segundos de vantagem sobre Ivan Cobo. O terceiro, a 12 segundos, é Rúben Simão (Sporting/Tavira/Formação Eng. Brito da Mana).

Quando falta uma etapa para o final da competição, todas as classificações estão em aberto. As diferenças na geral são escassas. Nas classificações por pontos e da montanha há empate entre os dois primeiros. Nos pontos comanda Yeisson Casallas (Bathco) em igualdade pontual com Pedro Silva. Luís Cabral (Vito/Feirense/BlackJack) segurou a camisola da montanha, mas tem agora os mesmos pontos do que Miquel Moncho. Na juventude a vitória no segundo setor de hoje deu o comando a Pedro Silva, mas com apenas dois segundos de vantagem sobre o segundo, André Silva (Academia Joaquim Agostinho/UDO). O Sporting/Tavira/Formação Eng. Brito da Mana) comanda por equipas.

As decisões ficam todas guardadas para a etapa-rainha da competição, a disputar neste domingo, entre Penamacor (12h30) e Manteigas (15h40), ao longo de 113,5 quilómetros. Duas contagens de montanha, a última das quais de primeira categoria, no Poço do Inferno, apenas a 9,6 quilómetros da chegada, compõem uma ementa de grande dificuldade.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/João Almeida sobe mais uma posição”

Por: José Carlos Gomes

O português João Almeida continua a subir na geral da Volta a França do Futuro, tendo hoje ascendido ao nono lugar da geral, depois de ter sido o 11.º na nona etapa, uma jornada de alta montanha, que ligou Sèez a Vald’Isère, ao longo de 83 quilómetros.

A terceira jornada consecutiva nos Alpes foi a mais exigente até ao momento, levando os corredores a ultrapassar quase três mil metros de acumulado de subida em 83 quilómetros. O tempo frio juntou-se à ementa para dificultar mais a tarefa aos corredores.

João Almeida manteve-se no grupo dos candidatos ao longo de praticamente toda a jornada. Cedeu alguns metros na subida de primeira categoria para a meta, mas recuperou a posição no grupo dos candidatos. Quem já não estava nesse grupo era o espanhol Fernando Barceló, que atacou de longe para vencer isolado. Em resposta ao espanhol, saíram o luxemburguês Michel Ries e o esloveno Tadej Poacar, que gastaram mais 9 segundos do que o vencedor.

O grupo de João Almeida ficou a 1m14s do vencedor da etapa, com o português no 11.º lugar. Tiago Antunes, que chegou a estar em fuga, foi 50.º, a 11m42s, Marcelo Salvador foi 52.º, a 13m46s, Rui Oliveira, 100.º, e Ivo Oliveira, 101.º, gastaram mais 17m17s do que o vencedor. Marcelo Salvador fechou a representação nacional, no 112.º lugar, a 19m30s.

Tadej Pogacar deu um passo de gigante no reforço do comando da geral, graças ao ataque que desferiu na etapa deste sábado. O esloveno tem agora 1m07s de vantagem sobre o luxemburguês Michel Ries, segundo, e 1m18s sobre o holandês Thymen Arensman, terceiro.

João Almeida é o nono classificado, a 2m07s, Tiago Antunes é 46.º, a 22m14s, Marcelo Salvador é 50.º, a 23m01s, Rui Oliveira é 89.º, a 37m56s, André Ramalho é 95.º, a 40m35s, e Ivo Oliveira é 106.º, a 49m50s.

A Volta a França do Futuro encerra, neste domingo, com uma viagem de 149,7 quilómetros, entre Val d’Isère e Saint-Colomban-des-Villards. A chegada está, novamente, colocada numa montanha de primeira categoria, ao cabo de uma viagem com 3254 metros de acumulado positivo e três prémios de montanha, dois de primeira e um de categoria especial.

Fonte: FPC