sexta-feira, 29 de julho de 2016

“XII Maratona BTT Rota do Presunto”

11 de setembro 2016 



“Volta a Portugal de Juniores Liberty Seguros”

João Almeida soma e segue

João Almeida (Bairrada) reforçou o comando na Volta a Portugal de Juniores Liberty Seguros, vencendo a segunda etapa, que hoje levou os corredores a percorrer 88 quilómetros, entre Vila Verde e Fafe.

À semelhança do que acontecera na véspera, o calor juntou-se ao percurso ondulado para dificultar a vida aos jovens corredores durante a segunda etapa, designada Troféu Peixoto Alves, em homenagem ao antigo craque. Apesar da dureza, foi um grupo numeroso que abordou a entrada na cidade de Fafe, mas João Almeida não permitiu uma chegada ao sprint.

O corredor das Caldas da Rainha atacou no último quilómetro, em subida e em estrada de empedrado, e cortou a meta sozinho, ao fim de 2h31m58s de prova. Pedro Lopes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), que ainda é júnior de primeiro ano, esteve, novamente, em excelente plano, ocupando a segunda posição na tirada, a 8 segundos do vencedor. O terceiro foi o mexicano Eugenio Mirafuentes (Grupo Codelse), a 11 segundos.

As duas vitórias de etapa não garantem, contudo, o triunfo final a João Almeida, uma vez que inexistência de bonificações faz com que a vantagem para o segundo na geral, Pedro Lopes, seja apenas de 15 segundos. O espanhol Tomeu Gelabert (RH+ Polartex-Fundación Contador) é o terceiro, a 18 segundos.

“A etapa de hoje custou mais do que a primeira, tanto pelo calor como pelo terreno. Ataquei no último quilómetro para consolidar a liderança, pois quero levar a camisola amarela até final”, afirmou João Almeida. Questionado sobre se tenciona vencer a última etapa, amanhã, o camisola amarela desabafou: “Isso também já era de mais”.

As classificações secundárias, à semelhança da geral, mantiveram hoje o mesmo líder que saiu da etapa inaugural. João Almeida comanda por pontos, Pedro Lopes é o melhor jovem e Tomeu Gelabert segurou a camisola dos trepadores. Por equipas comanda a RH+ Polartex-Fundación Contador.

A Volta a Portugal de Juniores Liberty Seguros termina neste sábado. A terceira e última etapa terá 110,3 quilómetros, ligando Boticas a Macedo de Cavaleiros. A passagem pela serra de Bornes, a 15,2 quilómetros da chegada, deverá fazer mossa. A tirada final designa-se Troféu Basílio Angélico, homenageando o histórico dirigente da Associação Regional de Ciclismo de Vila Real.

Fonte: FPC

“Volta Portugal/EFAPEL mantém amarela com Daniel Mestre”

Equipa superou exigente etapa minhota da Volta a Portugal

A EFAPEL assumiu a responsabilidade de defender a camisola amarela envergada por Daniel Mestre depois da brilhante vitória alcançada na véspera, em Braga. Foi assim, e com as temperaturas a atingirem os 40 graus centígrados, que os corredores da formação liderada por Américo Silva enfrentaram e superaram os quase 170 quilómetros entre Viana do Castelo e Fafe. No final, a equipa ainda procurou discutir a vitória que seria do italiano Francesco Gavazzi. Mas conseguiu manter a liderança na classificação geral individual com Daniel Mestre, que foi sexto na etapa.

Concentrados na protecção do camisola amarela, Daniel Mestre, e do chefe de fila da equipa, Jóni Brandão, os corredores assumiram o controlo do pelotão e da corrida durante praticamente toda a tirada. Não sem antes sofrerem um percalço quando quatro elementos foram envolvidos numa queda. Felizmente, todos puderam regressar às sua bicicletas e dar continuidade ao trabalho efectuado desde o primeiro dia.

Já no final, o principal momento de tensão estava na passagem pelo salto da pedra sentada, uma zona de dois quilómetros em terra batida famosa por fazer parte do Rali de Portugal. Esta provocou dificuldades em inúmeros atletas. Felizmente, o comboio da EFAPEL passou sem problemas para chegar a Fafe e discutir os primeiros lugares.

Daniel Mestre não bonificou na chegada mas fê-lo numa das metas volante. Esses segundos foram importantes para segurar o primeiro lugar. Tem uma vantagem de dois segundos sobre José Gonçalves.

“Aproveitámos o trabalho para a meta volante. Consegui vencê-la e somar a bonificação que me permite manter o primeiro lugar. Hoje, o nosso grande inimigo foi o muito calor que se fez sentir durante toda a etapa. O terreno também é ondulado, o que dificulta as coisas. Mantemos a camisola amarela, que é importante para mim e para equipa. O Jóni também está entre os primeiros e na luta pela geral, pois chegou com o grupo da frente. Esse é o nosso grande objectivo”, afirmou o líder da Volta a Portugal em Bicicleta.

Amanhã, a Volta a Portugal deixa o Minho e ruma a Trás-os-Montes num dia que se espera, tenha novamente temperaturas bastante altas. Os corredores partem de Montalegre às 13h10 e estima-se que cheguem a Macedo de Cavaleiros, ao cabo de 158,9 quilimetros, entre as 17h20 e as 17h40. Durante o percurso, há três metas volante e dois prémios de montanha, ambos de segunda categoria.

 

Classificação na 2ª etapa da Volta a Portugal

    Francesco Gavazzi        Androni Giocatoli    4h12m43s

    José Gonçalves        Caja Rural        mt

    Vicente Rubio            Louletano        mt


    Daniel Mestre            EFAPEL        a 1s

14º    Jóni Brandão            EFAPEL        a 4s

46º    Filipe Cardoso        EFAPEL        a 51s

51º    Henrique Casimiro        EFAPEL        a …

81º    António Barbio        EFAPEL        a 13m54s

109º    Álvaro Trueba        EFAPEL        a 22m47s

110º    Rafael Silva            EFAPEL        mt

122º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 23m02

 

Classificação individual após a 2ª etapa da Volta a Portugal

    Daniel Mestre            EFAPEL        8h38m44s

    José Gonçalves        Caja Rural        2s

    Francesco Gavazzi        Androni Giocatoli    a 8s


    Jóni Brandão            EFAPEL        a 15s

17º    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 29s

42º    Filipe Cardoso        EFAPEL        a 1m05s

69º    António Barbio        EFAPEL        a 14m22s

104º    Rafael Silva            EFAPEL        a 27m55s

112º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 30m54s

115º    Álvaro Trueba        EFAPEL        a 36m05s

Fonte: Efapel

“Volta Portugal/“Salto” em Fafe antes da vitória italiana “Portugal dá-me sorte!”

Francesco Gavazzi foi o homem em destaque, esta sexta-feira, na 2ª etapa da 78ª Volta a Portugal Santander Totta ao vencer ao sprint a já tradicional, e sempre empolgante, chegada no empedrado do centro de Fafe. O italiano da Androni Giocattoli impôs-se, em cima da linha de meta, a José Gonçalves (Caja Rural) e Vicente de Mateos (Louletano/Hospital de Loulé).

 

A luta final a alta velocidade, e o intenso calor português, foi destacado pelo vencedor da etapa que subiu ao terceiro lugar da classificação. “Foi um sprint muito duro, os últimos quilómetros no empedrado fizeram uma grande seleção e o calor também criou imensas dificuldades. Estou contente porque acabei por vencer como me disse que ia acontecer o meu director desportivo esta manhã quando me viu pela primeira vez”, disse Gavazzi a sorrir.

 
Daniel Mestre, quinto na chegada a Fafe, manteve a Camisola Amarela Santander Totta. O alentejano da Efapel segue líder com mais três segundos que o mais direto adversário, José Gonçalves (Caja Rural).


Um salto entre Viana e Fafe

A Volta viveu nesta 2ª etapa, iniciada em Viana do Castelo, uma jornada histórica. A “Princesa do Lima” começou por aplaudir o início da viagem dos 160 quilómetros que faziam parte do percurso. Dez homens decidiram cedo fugir ao pelotão mas a passagem pelas dificuldades do Parque Natural da Peneda Gerês a causaram os primeiros estragos.


O grupo da frente começou a perder elementos e a fuga foi completamente anulada a 20 quilómetros da chegada quando já faltava muito pouco para o “Salto da Pedra Sentada”. O famoso troço do Rally de Portugal acabou por ser o grande atrativo da etapa porque em 78 edições da Volta nunca o percurso por ali tinha passado mas, sobretudo por se tratar de um sector de terra batida com cerca de dois quilómetros. Perante o público que ali se deslocou e assistiu a esse momento único do ciclismo nacional, coincidindo com um Prémio de Montanha de 2ª categoria, foi o colombiano Ramiro Diaz (Funvic/Soul Cycles) quem se destacou, o que lhe permitiu vestir a Camisola Azul Liberty Seguros.


Ao fim de três dias de competição, Gustavo Veloso (W52-FC Porto) lidera o Prémio Kombinado KIA. Esta classificação define-se pelo somatório da pontuação nas diversas classificações – geral individual, montanha e pontos.


Quem é Francesco Gavazzi?
“Gava”, como é conhecido pelos amigos, nasceu em 1984. O italiano de Morbegno completa 32 anos em plena Volta a Portugal, na próxima segunda-feira, 1 de agosto. Francesco Gavazzi afirma que Portugal dá-lhe sorte. Na Volta de 2011 venceu duas etapas, em Castelo Branco e Lisboa. Nesse mesmo ano triunfou também numa tirada da Vuelta. De 2012 a 2014 atingiu o nível mais alto do ciclismo, o World Tour, ao correr na Astana Pro Team.


Vem aí uma etapa 100% transmontana


Com a 3ª etapa da 78ª Volta a Portugal Santander Tottaa caravana instala-se no Nordeste Transmontano. Montalegre marca o início dos 158,9 Km que vão levar o pelotão atéMacedo de Cavaleiros. A festa está prometida com o regresso desta cidade ao mapa da Volta 19 anos depois. Pelo meio a Serra de Bornes, com uma contagem de 2ª categoria, a 36 Km da meta.

 
Fonte: Podium