segunda-feira, 24 de setembro de 2018

“4º lugar no Campeonato do Mundo de Estafetas juniores e sub-23 2018”

Foram 19 as equipas que marcaram presença no Campeonato do Mundo a equipa portuguesa ficou num excelente 4º lugar.

Realizou-se no dia 16 de setembro o Campeonato do Mundo de Estafetas sub 23 e juniores, constituído por 19 equipas de todo o mundo, tendo a equipa portuguesa obtido um excelente quarto lugar.

Portugal alinhou à partida com Melanie Santos, Ricardo Batista, Gabriela Ribeiro e Vasco Vilaça, uma das equipas mais jovens em competição, mas de elevado calibre, com possibilidade de disputar os primeiros lugares.

Foi a primeira vez que se realizou a prova de estafetas numa final do Campeonato do Mundo, uma competição muito dinâmica, em que cada um dos elementos da equipa tem que completar um triatlo na distância super sprint e passar o testemunho ao outro colega o mais rápido possível, iniciando sempre com elemento feminino e terminando com um masculino.

Pelas suas características, com tantos segmentos e transições a acontecer numa só prova, as posições estão frequentemente a mudar, e podem reverter de um elemento para o outro, pelo que o pódio pode manter-se ‘aberto’ até ao final da prova.

Melanie Santos, a primeira triatleta a entrar em prova, numa natação picada e com muito vento, saiu da água em 11º lugar, mas recuperou posições para 4º no ciclismo e posicionou-se na transição para a corrida em primeiro lugar, passando o testemunho ao seu colega em segundo.

A triatleta, que no dia anterior tinha conseguido um excelente 6º lugar na Grande Final do Campeonato do Mundo, considerou que ‘a prova correu muito bem, sempre a lutar pelos primeiros lugares, pelo que se sente muito satisfeita com um quarto lugar numa competição deste nível’.

O segundo elemento na prova foi Ricardo Batista que partilhou da opinião da sua colega de prova Melanie: «A prova foi muito bem conseguida por parte de todos nós. A Melanie fez uma boa prestação entregando-me o testemunho em segundo lugar. Estive integrado no grupo dos favoritos desde o início até ao fim da minha prova.»

Gabriela Ribeiro que foi a terceira triatleta a participar na prova diz: «A competição correu muito bem, já sabia que estava dentro daquilo que eu conseguia alcançar; a natação foi boa, consegui passar uma adversária e sair com outra na transição para o ciclismo. Na corrida senti-me bem e forte e consegui entregar o testemunho recuperando três lugares pelo que fiquei satisfeita» No geral Gabriela avalia a prova como positiva, numa prestação que demonstra a qualidade da sua prestação, fruto do que tem treinado, um objetivo que não tinha sido alcançado na prova individual.

Vasco Vilaça fez-nos um resumo da competição, avaliando no geral a grande qualidade da equipa. «Foram todos muito bons, com a Melanie a passar o testemunho em segundo lugar e a fazer um segmento de corrida com muita qualidade. O Ricardo Batista conseguiu manter, posicionando-se no segundo grupo de ciclismo, a Gabriela Ribeiro nadou bem, no ciclismo acabou por perder o grupo porque este se desagregou, mas passou algumas adversárias na corrida.»

Sendo o último elemento a entrar em prova, recaiu sobre Vasco Vilaça alguma ‘responsabilidade’: «Quando chegou à minha vez, a nossa posição devia estar em 6º, consegui alcançar no ciclismo um rapaz americano que estava a 10 segundos e foi na segunda volta que alcancei a equipa que estava a lutar pelo 4º lugar, tendo ele ganho ao sprint no final. Acabámos por nos posicionar em quarto por causa desclassificação da equipa neozelandesa. Foi muito positivo!»

A equipa lusa terminou na quarta posição com 01:21:28, ultrapassada apenas pela França, Alemanha e Grã-Bretanha, que terminaram com o tempo de 01:20:27, 01:20:48 e 01:21:25 respetivamente.

Fonte: FTP

“Vanessa Pereira em 12.º no Challenge de Madrid de longa distância"

Portuguesa completou a prova em 12:01.20 horas

Por: Lusa

Foto: Sérgio Lemos

A portuguesa Vanessa Pereira terminou este domingo no 12.º lugar o Europeu Challenge de longa distância, que decorreu em Madrid e foi conquistado pela britânica Laura Siddall.

Siddall, de 38 anos, completou a prova em 9:54.33 horas, à frente da belga Alexandra Tondeur, segunda, e da também britânica Lisa Roberts, terceira.

Pereira, a única lusa em prova, acabou mais de duas horas depois da vencedora, com um tempo de 12:01.20.

A prova masculina foi conquistada pelo belga Timothy van Houtem, à frente dos espanhóis Paulo Dapena González, segundo, e Carlos Aznar Gallego, terceiro.

Fonte: Record on-line

“Mundiais: Mikkel Bjerg vence crono sub-23 e Ivo Oliveira foi 28.º”

Ciclista português terminou prova a 1.34 minutos do vencedor

Foto: EPA

O dinamarquês Mikkel Bjerg sagrou-se esta segunda-feira campeão mundial de contrarrelógio sub-23, ao vencer a prova nos Mundiais de ciclismo de estrada, na cidade austríaca de Innsbruck, em que Ivo Oliveira foi 28.º.

Bjerg, de 19 anos, revalidou o título que já tinha conquistado em 2017, cumprindo os 27,8 quilómetros entre Hall-Wattens e Innsbruck em 32.31 minutos, 33 segundos a menos que o segundo classificado, o belga Brent van Moer, e 38 em relação ao seu compatriota Mathias Norsgaard.

O melhor português em prova foi Ivo Oliveira, campeão português sub-23 na especialidade, terminando no 28.º posto, a 1.34 minutos do vencedor, e a 15 segundos do objetivo que tinha definido antes da prova, o top 20.

"Até me sentia bem, mas quebrei um pouco na fase intermédia da prova. Talvez não fosse o meu dia", afirmou o português, citado pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

Sem querer "encontrar desculpas", o corredor explicou que o "vento de costas em quase 90% do percurso acabou por favorecer os ciclistas mais pesados" e não roladores como o luso.

No 30.º lugar terminou João Almeida, a 1.40 de Bjerg, sendo que o ciclista de 20 anos ainda vai participar na prova de fundo da categoria em que se insere.

"Acho que fiz um bom resultado para as minhas características, até porque o meu objetivo principal é a prova de fundo [na sexta-feira]", disse, no final da prova.

Na terça-feira, os juniores Afonso Silva e Guilherme Mota entram em ação no contrarrelógio individual masculino da categoria, que atravessa o mesmo percurso dos sub-23, num traçado plano mas com algumas rampas a testarem as condições físicas dos participantes.

Guilherme Mota, campeão português de juniores na especialidade, pensa que a distância "não será um problema", porque tem corrido em 'cronos' longos, e entrará na prova "com pensamento positivo".

Recorde-se que o melhor resultado na prova de juniores para Portugal ocorreu em 1998, quando Sérgio Paulinho foi sexto classificado em Valkenburg.

Fonte: Record on-line 

“Volta a Itália de 2019 parte de Bolonha em 11 de maio”

O britânico Chris Froome venceu a última edição do Giro

Fonte: Lusa

Foto: EPA

A Volta a Itália de 2019 arranca em 11 de maio, com um contrarrelógio individual de 8,2 quilómetros em Bolonha, de onde partiu apenas uma vez em 101 edições, anunciou esta segunda-feira a organização da prova.

A primeira etapa do Giro do próximo ano partirá do centro de Bolonha e terminará no alto de San Luca, após uma subida de 2,1 quilómetros, com uma inclinação média de 9,7%, onde está localizado o santuário da Virgem de San Luca, sobranceiro à cidade.

Após a etapa inaugural em Bolonha, de onde o Giro apenas partiu uma vez, em 1994, a prova, uma das três mais importantes do calendário velocipédico, em conjunto com a Volta a França e a Volta a Espanha, ruma em direção ao sul do país.

A 102.ª edição do Giro, que volta a arrancar de território italiano, depois de este ano a primeira etapa ter saído de Jerusalém, termina em 3 de junho.

Fonte: Record on-line

“Final da época 2018 da ASFIC”

Por: Rui Medina

Depois dos três anos seguidos de sucesso, estávamos cientes das dificuldades que iriamos encontrar na presente época, pois a ASFIC é uma equipa com provas dadas no ciclismo nacional, e, os nossos adversários mostram sempre uma atenção redobrada perante a nossa equipa.

Mas, somos ambiciosos e como sempre, desde o início deste projeto, acreditamos nos valores do trabalho, da dedicação, do empenho e da união, e por isso, continuamos com a mesma força e ambição que tínhamos ontem, hoje e no futuro.

Como é sabido e do conhecimento de todos, tínhamos empreendido algumas alterações na equipa,  com o intuito de dar continuidade aos bons resultados obtidos e de nos apresentarmos mais competitivos e combativos

Os resultados já obtidos neste três anos de sucesso,  não são fácies de superar, mas a confiança no grupo era grande. O grupo escolhido, estava unido e forte e tínhamos a convicção que tudo iria fazer para dignificar e elevar o nome da Cidade de Rio Maior e dos nossos patrocinadores.

A equipa foi formada pelos atletas que queríamos e ambicionávamos, estando os objetivos bem definidos, com a procura do destaque em todas as competições, sempre com humildade, mas muita determinação, em dar a maior visibilidade possível aos nossos patrocinadores, a freguesia da Ribeira de S. João e à Cidade de Rio Maior.

No início da época as coisas não saíram como queríamos e ambicionávamos. Para além de alguns erros táticos, tivemos quedas de atletas, e, os nossos adversários estavam fortes e atentos as movimentações da nossa equipa no pelotão.

Ainda assim, a equipa fez uma excelente época,  sendo que apenas consideramos que falhámos em 2 provas importantes, no campeonato ibérico e no campeonato nacional.

No campeonato Ibérico, temos de dar a mão a palmatória e felicitar os nossos adversários, pois conseguiram ser mais fortes que a ASFIC.

Já no Campeonato Nacional, as coisas não correram bem, primeiro um erro tático deitou a perder a disputa do 1º lugar, depois uma avaria mecânica a cerca de 5 km da meta, quando tínhamos um atleta bem posicionado no grupo da frente e que estava em excelente posição de se tornar campeão nacional, tirou as ultimas aspirações da ASFIC pela conquista de uma camisola de campeão nacional.

É verdade que os resultados iniciais não foram os que mais desejávamos, mas ainda assim, foram muito bons e bastante positivos, algo que não nos surpreendeu com a Direção Técnica que temos, e os atletas que quiseram estar no projeto.

Os números falam por si, e das 17 provas com classificação coletiva, a equipa venceu 12 e nas restantes obteve 3 vezes o segundo lugar.

Das 22 provas em competição, conseguimos vencer a geral 11 vezes, e das que não vencemos, 3 vezes ficámos em 2º lugar e 3 vezes em 3º lugar.

Do ponto de vista desportivo, podemos dizer que valeu a pena, mesmo não conseguindo atingir todos os nossos objetivos delineados, mas fomos sempre uma equipa a considerar pelos nossos adversários, combativa e nunca nos demos por vencidos, dando sempre muita luta e agitação ao pelotão.

Estamos cientes que conseguimos o objetivo mais importante, projetar a nossa cidade e os nossos patrocinadores, e a prova disso, é que fomos a equipa que mais atacou e que mais vitórias obteve coletivamente, o que nos deixa extremamente orgulhosos.

Para 2019 começámos a trabalhar ainda a época 2018 não tinha terminado, e de certeza que a equipa continuará com a mesma RAÇA, AMBIÇÃO, QUERER, DETERMINAÇÃO E ACREDITAR, mas sobretudo muita união, e mais que uma equipa, continuaremos a ser uma família, que irá lutar unida por superar a época anterior, continuando com combatividade a procurar o destaque em todas as competições, para dar a maior visibilidade possível aos nossos patrocinadores, a freguesia da Ribeira de S. João e à Cidade de Rio Maior

A equipa irá sofrer algumas alterações, mas apenas uns reajustes, pois queremos manter a mesma base, e tentar reforçar com alguns atletas já sinalizados pela direção.

Não podemos deixar de agradecer aos nossos Patrocinadores, que assim como nós, acreditaram no projeto desde o primeiro dia e continuam a acreditar afincadamente, apoiando a equipa incondicionalmente.

Por ultimo, queremos deixar um agradecimento especial ás entidades publicas ligadas a equipa, a   Srª  Presidente da Camara municipal, Dr.ª Isaura Morais,  ao Srº Vereador do Desporto Sr. Engenheiro Lopes Candoso e ao Presidente da União de Freguesias da Ribeira S. João e S. João da Ribeira , Leandro Jorge.

Fonte: ASFIC

“Equipa Portugal/Afonso Silva e Guilherme Mota prontos para o contrarrelógio”

Por: José Carlos Gomes

Afonso Silva e Guilherme Mota representam a Equipa Portugal nas provas de juniores do Campeonato do Mundo de Estrada, em Innsbruck, Áustria. A primeira corrida em que participam é contrarrelógio individual, marcado para esta terça-feira.

O contrarrelógio de juniores é igual à prova disputada pelos sub-23, partindo de Hall-Wattens e chegando no centro de Innsbruck, depois de ultrapassados 27,8 quilómetros. O traçado é maioritariamente plano, mas os topos e as rampas exigem uma boa capacidade de gestão das capacidades físicas.

“É uma prova que favorece os contrarrelogistas possantes, os corredores mais altos e pesados. Tanto o Afonso como o Guilherme não correspondem a esse perfil, mas são dois bons contrarrelogistas e vão dar o máximo, mesmo tendo em atenção que o foco principal está colocado na prova de fundo, a disputar na quinta-feira”, explica o selecionador nacional, José Poeira.

Os dois corredores já treinaram o circuito e sabem bem aquilo que os espera. “É um contrarrelógio com partes técnicas, o que me favorece, mas é muito rápido e nós estamos mais acostumados a contrarrelógio mais duros, mas espero que nos adaptemos bem. Neste ano já tenho feito contrarrelógios longos e tenho-me sentido melhor nas partes finais. Acho que a distância não será um problema. No Campeonato da Europa fiquei a 2 segundos do top 10. Se conseguisse entrar nos dez melhores no Mundial seria fantástico, mas um top 20 já seria bastante positivo”, afirma Guilherme Mota, atual campeão nacional da especialidade.

Afonso Silva, que se sagrou campeão português em 2017, no ano de estreia em juniores, considera que a prova de Innsbruck “é rápida, com algumas partes duras. Vai ser necessário gerir muito bem o esforço, porque os topos duros chegam do meio para a frente. Será necessário chegar aí com alguma força para não ficarmos ‘a pé’. Nunca fiz um contrarrelógio tão longo, mas estou com pensamento positivo. Vou dar o meu melhor para conseguir um bom resultado”, sublinha o alentejano.

O melhor resultado português de sempre em provas de contrarrelógio para juniores do Campeonato do Mundo de Estrada foi conseguido por Sérgio Paulinho, sexto classificado em Valkenburg, em 1998.

Fonte: FPC

“Passeio de Bicicleta "Movidos pelo Futuro" (Guimarães, 29 de setembro)”

Realiza-se no dia 29 de setembro, em Guimarães, o Passeio de Bicicleta "Movidos pelo Futuro" promovido no âmbito do Salão de Veículos Elétricos e Inteligentes que decorre, de 28 a 30 de setembro, no Multiusos de Guimarães. Com início marcado para as 21 horas, o passeio é de participação gratuita (oferta de t-shirt, seguro e de entrada no certame).

A iniciativa tem o apoio da Associação de Ciclismo do Minho e as inscrições devem ser formalizadas online www.acm.pt

O Passeio de Bicicleta "Movidos pelo Futuro" terá um percurso de dificuldade baixa, procurando-se assim incentivar a participação de todos os interessados, independentemente da idade e da condição física.

Visando incentivar a utilização da bicicleta como opção de mobilidade e de prática desportiva, o Passeio de Bicicleta "Movidos pelo Futuro" começará e terminará no Multiusos de Guimarães. O início do passeio está marcada para as 21 horas, contando a iniciativa com o apoio da Associação de Ciclismo do Minho e da AMVJ - Produções.

A inscrição é gratuita e os participantes no Passeio de Bicicleta "Movidos pelo Futuro" terão direito a uma t-shirt oficial e à entrada no Salão de Veículos Elétricos e Inteligentes que decorre, de 28 a 30 de setembro, no Multiusos de Guimarães. Os participantes estarão cobertos pelo seguro desportivo e as inscrições devem ser formalizadas no website da Associação de Ciclismo do Minho www.acm.pt

Movidos Pelo Futuro www.movidospelofuturo.pt  será uma mostra de referência para apresentação de projetos e soluções tecnológicas inovadoras capazes de transformar a cidade numa verdadeira cidade inteligente.

No Multiusos de Guimarães, de 28 a 30 de setembro, o Movidos Pelo Futuro levará todos os visitantes a refletir sobre o futuro da organização das nossas cidades a nível de eficiência, mobilidade, plataformas digitais e sustentabilidade e explorar a forma como a “inteligência urbana” pode melhorar a nossa qualidade de vida em áreas de intervenção como: Energias Renováveis, Água, Resíduos e Ambiente, Mobilidade Urbana, Saúde e Turismo entre outras áreas.

Esta segunda edição do certame conta a presença de marcas e grupos como: Cardan, Caetano Auto, Japautomotive, Hendo e M&Costas e marcas como Hyundai, Tesla, Mini, Prio e Efacec entre outros expositores e representações.

A par da exposição com todas as novidades do setor da “inteligência urbana” e mobilidade elétrica e inteligente, os visitantes vão poder usufruir de uma diversidade de atividades como conferências no âmbito da mobilidade do futuro e smart cities, test-drives das marcas presentes, empolgantes simuladores, bem como uma área Kids para aprendizagem dos mais novos e vários momentos musicais que prometem muita animação.

Fonte: ACM

“Equipa Portugal/Ivo Oliveira 28.º no Mundial sub-23 de contrarrelógio”

Por: José Carlos Gomes

Ivo Oliveira, 28.º classificado, foi o melhor português na prova de contrarrelógio para sub-23 do Campeonato do Mundo de Estrada, que hoje se realizou em Innsbruck, Áustria.

A Equipa Portugal partia com o objetivo de fazer melhor do que o 21.º lugar que Ivo Oliveira alcançara, há um ano, na Noruega, mas gaiense não conseguiu atingir essa meta nos 27,7 quilómetros de luta contra o tempo, entre Hall-Wattens e Innsbruck.

O percurso revelou-se excessivamente rápido para as caraterísticas dos portugueses, sendo mais ao jeito de corredores de maior envergadura física. Facto que foi potenciado pelo vento maioritariamente de costas, o que fez com que o vencedor, o dinamarquês Mikkel Bjerg, terminasse com 32’31’’05, à espantosa média de 51,111 km/h.

Ivo Oliveira cortou a meta com 34’05’’57, mais 1’34’’52 do que o companheiro de equipa que se sagrou bicampeão mundial de contrarrelógio em sub-23. “Até me sentia bem, mas quebrei um pouco na fase intermédia da prova. Talvez não fosse o meu dia. Sem querer encontrar desculpas, reconheço que o vento de costas em quase 90 por cento do percurso acabou por favorecer os ciclistas mais pesados”, explicou o campeão nacional da especialidade.

O outro português em prova foi João Almeida, que fechou a corrida no 30.º lugar, a 1’39’’77 do vencedor. O caldense está na Áustria especialmente focado na prova de fundo, pelo que se mostrou satisfeito com a prestação no contrarrelógio.

“Estou contente com o meu desempenho, acho que fiz um bom resultado para as minhas caraterísticas, até porque o meu objetivo principal é a prova de fundo. Apesar do foco na corrida de sexta-feira, fiz questão de participar no contrarrelógio, porque é sempre uma boa preparação, uma oportunidade para ‘abrir o capô’, como se costuma dizer”, disse João Almeida.

A Equipa Portugal colocou os dois corredores no top 30, ambos dentro da primeira metade da classificação. A Dinamarca dominou o contrarrelógio de sub-23, fazendo valer o poderio físico dos seus corredores. Mikkel Bjerg conquistou a medalha de ouro e o compatriota Mathias Norsgaard Jorgensen ficou com a de bronze, a 38,30 segundos do colega. Pelo meio, com a medalha de prata ao peito, ficou o belga Brent van Moer, que gastou mais 33,47 segundos do que o primeiro classificado.

O mesmo percurso que hoje recebeu o contrarrelógio de sub-23 será palco, amanhã, da prova individual de juniores. A Equipa Portugal estará representada por Afonso Silva, que parte às 9h50m30s, e por Guilherme Mota, com saída marcada para as 10h30m30s (horas de Portugal Continental).

Fonte: FPC

“CAMPEONATO NACIONAL DE TRIATLO EM SINES”

RICARDO BATISTA VICE-CAMPEÃO NACIONAL ABSOLUTO JOANA MIRANDA – CAMPEÃ NACIONAL JUNIOR

Por: Paulo Vieira

RICARDO BATISTA e JOANA MIRANDA sagraram-se este sábado, 22 de Setembro, Campeões Nacionais de Triatlo em Juniores na sua estreia em distância olímpica (1,5km/natação, 40kms/ciclismo e 10kms/corrida), conseguindo ainda RICARDO BATISTA terminar esta prova relativa ao CAMPEONATO NACIONAL ABSOLUTO DE TRIATLO que se disputou em Sines, no 2ºlugar absoluto, sagrando-se VICE-CAMPEÃO NACIONAL em ELITES.

Depois de regressar na passada terça-feira da Austrália, aonde participou no Campeonato do Mundo de Triatlo, RICARDO BATISTA saiu em 1ºlugar da água na praia de Sines, e manteve-se na frente do ciclismo durante 30kms, em fuga com Miguel Tiago Silva do Outsystems Olímpico de Oeiras. Nos 10kms de corrida, RICARDO BATISTA saiu com algum desgaste, face ao trabalho realizado na tentativa de manter a fuga no ciclismo, mas acabou por finalizar a prova num excelente 2ºlugar (1ºJunior).

JOANA MIRANDA, atleta que também fez a sua estreia na distância olímpica, esteve igualmente em destaque vencendo o escalão de Juniores.

O técnico Paulo Antunes, comentou que sente um enorme orgulho relativamente à prestação destes e de todos os atletas que enquadra tecnicamente, salientando que os campeões se fazem com muito trabalho, espírito de sacrifício e dedicação. As lesões, frustrações e as lágrimas fazem parte do percurso e são os obstáculos que irão sempre surgir no caminho. A resposta essa, tem sempre de ser dada em treino e quando assim é, os resultados não tardam em aparecer.

O Triatlo do CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS, esteve ainda presente no Campeonato Nacional de Triatlo em Grupos de Idade, prova disputada também em Sines durante a manhã. MARCO SOUSA, venceu o seu escalão de 40-44 anos, e sagrou-se Campeão Nacional de Triatlo em distância olímpica no seu grupo de idades.

No próximo sábado, 29 de Setembro, realiza-se em Cascais, a 2ªedição do Half Ironman em Portugal (1,9km/natação, 90kms/ciclismo e 21kms/corrida), que terá a presença de atletas torrejanos, tais como Marco Sousa, os irmãos André e Pedro Antunes, entre outros…

Fonte: CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS