sábado, 8 de setembro de 2018

“Rui Costa termina Grande Prémio do Québec no 16.º lugar”

Prova conquistada pelo australiano Michael Matthews

O ciclista português Rui Costa (UAE-Team Emirates) terminou esta sexta feira o Grande Prémio do Québec no 16.º posto, numa prova de um dia, com 201,6 quilómetros, conquistada pelo australiano Michael Matthews (Team Sunweb), em 05:04.17 horas.

Rui Costa, de 31 anos, completou a distância com o mesmo tempo do vencedor, enquanto o outro ciclista luso em prova, Nuno Bico (Movistar), não chegou ao fim da competição. A vitória de Matthews foi decidida ao 'sprint', confirmando assim o estatuto de favorito que lhe era atribuído para a prova canadiana.

Michael Matthews, de 27 anos, superou a concorrência dos belgas Greg Van Avermaet (BMC) e Jasper Stuyven (Trek-Segafredo), segundo e terceiro classificados, respetivamente, tendo alcançado o terceiro triunfo da temporada, depois da vitória numa etapa da Volta à Romandia e outra no Binck Bank Tour.

Fonte: Record on-line

“Stannard vence etapa na Volta à Grã-Bretanha”

Alaphilippe segue na liderança com 17 segundos de vantagem

Por: Lusa

 Foto: EPA

O britânico Ian Stannard (Sky) venceu este sábado isolado a sétima e penúltima etapa da Volta à Grã-Bretanha que continuou a ser liderada pelo francês Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors).

Stannard capitalizou uma longa fuga sob chuva, cumprindo em 4:56.27 horas os 215 quilómetros da tirada disputada entre West Bridgford e Mansfield, à qual o português José Neves (Education First-Cannondale Drapac) não resistiu, acabando por desistir.

O britânico bateu por 59 segundos o alemão Nils Politt (Katusha-Alpecin) e por 3.09 minutos o italiano Giovanni Carboni (Bardiani-CSF), segundo e terceiro classificados, respetivamente, enquanto Alaphilippe terminou no 19.º posto, a 4.04 do vencedor.

Na classificação geral, o ciclista francês conservou 17 segundos de vantagem sobre o holandês Wout Poels (Sky), segundo colocado, e não deverá ter dificuldade em confirmar o triunfo no domingo, após a última etapa, disputada ao longo de 77 quilómetros nas ruas de Londres.

Fonte: Record on-line

“Vuelta/Britânico Simon Yates vence 14.ª etapa e sobe à liderança”

Ciclista da Mitchelton-Scott segue agora na liderança

Por: Lusa

O britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott) ascendeu este sábado à liderança da Volta a Espanha, ao vencer isolado a 14.ª etapa da prova, com chegada inédita no alto de Les Praeres.

Yates completou em 4:19.27 horas os 171 quilómetros entre Cistierna e Les Praeres, em Nava, onde a meta coincidiu com uma contagem de montanha de primeira categoria, batendo por dois segundos o colombiano Miguel Ángel López (Astana) e o espanhol Alejandro Valverde (Movistar).

O britânico assumiu o comando da prova, com 20 segundos de vantagem sobre Valverde e 25 em relação ao colombiano Nairo Quintana (Movistar), segundo e terceiro classificados da geral individual, enquanto o espanhol Jesus Herrada (Cofidis), anterior líder, caiu para fora dos 10 primeiros.

No domingo realiza-se a 15.ª etapa da Volta a Espanha, na qual participam os portugueses Nelson Oliveira (Movistar), Tiago Machado (Katusha) e José Mendes (Burgos), entre Ribera de Arriba e Lagos de Covadonga, na extensão de 178,2 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Mário Costa 71.º no Mundial de XCO”

Por: José Carlos Gomes

O português Mário Costa foi hoje o 71.º classificado na prova de elite de cross country olímpico (XCO) do Campeonato do Mundo de BTT, disputada em Lenzerheide, Suíça.

Mário Costa partiu mal, cedendo muitas posições desde o início e nunca mais se conseguiu encontrar, num circuito que até se encaixava bem nas caraterísticas do corredor português. O atraso acumulado levou Mário Costa a fechar a competição a três voltas da frente da corrida.

“Esperávamos mais do Mário Costa, que não conseguiu desenvolver aquilo que esperávamos que fosse capaz”, resume o selecionador nacional, Pedro Vigário.

A luta pela vitória foi muito animada, colocando frente a frente o suíço Nino Schurter e o italiano Gerhard Kerschbaumer. O helvético, a correr em casa, revelou-se mais forte, conquistando o sétimo título mundial de elite e quarto consecutivo. Nino Schurter, também campeão olímpio em título, cortou a meta com 11 segundos de vantagem sobre Gerhard Kerschbaumer. O terceiro, a 1m14s, foi o holandês Mathieu van der Poel.

A participação portuguesa no Campeonato do Mundo de BTT termina neste domingo. Francisco Pardal, Emanuel Pombo e Vasco Bica vão competir na final de DHI, que se inicia às 13h30.

Fonte: FPC

“Troféu Internacional Anadia 2020/Ivo e Rui Oliveira triunfam em Madison”

Por: José Carlos Gomes

A dupla formada pelos gémeos Ivo e Rui Oliveira cumpriu o grande objetivo de Portugal para o Troféu Internacional Anadia 2020, ganhando hoje a prova olímpica de madison, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia.

Portugal, segundo classificado do ranking mundial de omnium, apostou tudo em madison, procurando somar o maior número possível de pontos, de forma a assegurar a presença na edição de 2018/2019 nas duas disciplinas olímpicas de resistência.

Ivo e Rui Oliveira tinham a missão de tentar vencer a competição de madison e cumpriram o plano, revelando grande superioridade durante toda a prova, estreando da melhor forma as camisolas de campeões nacionais, conquistadas na sexta-feira.

Os gémeos de Gaia terminaram a corrida com 57 pontos, mais 23 do que os australianos Joshua Harrison e Leigh Howard. No terceiro posto colocaram-se os holandeses Jan-Willem van Schip e Cees Bol, com 20 pontos. João Matias e Miguel do Rego também representaram a Equipa Portugal, sendo os quartos classificados, com 17 pontos.

Com a presença garantida em omnium, Portugal deu hoje um passo decisivo para qualificar-se para a competição da madison da Taça do Mundo, algo fundamental para trabalhar o apuramento olímpico de ambas as disciplinas. As contas de apuramento fecham dia 14, altura em que ficaremos a saber se o resultado de hoje teve os efeitos pretendidos. 

O omnium também integrou o programa do Troféu Internacional Anadia 2020, no setor masculino e feminino. Entre os homens a luta deu-se entre as seleções da Holanda e da Suíça.

Os holandeses levaram a melhor, triunfando através de Jan-Willem van Schip, que fechou o concurso com 140 pontos, mais nove do que o suíço Alex Vogel. O terceiro, com 122 pontos, foi o holandês Cees Bol, corredor da formação WorldTour Team Sunweb. César Martingil (Liberty Seguros-Carglass), sétimo classificado, com 83 pontos, foi o melhor português.

A competição feminina de omnium também teve vitória forasteira, embora com forte oposição nacional. A australiana Kristina Clonan revelou-se superior à concorrência, com 151 pontos. Maria Martins, embora desgastada por ter terminado ontem a Volta à Bélgica, prova internacional por etapas, foi a segunda classificada, com 137. No terceiro posto colocou-se Soraia Silva, com 118.

Os juniores disputaram duas provas. Daniel Dias (Maia Formação) venceu a corrida por pontos, embora em igualdade pontual com Carlos Barreiros (Tensai/Sambiental/Santa Marta), ambos com 34. O terceiro foi Felipe Lekuona (Guipuzcoa).

Em scratch, a formação guipuscoana trabalhou em coletivo e permitiu a vitória de Aritz Urra. O segundo classificado foi Wilson Esperança (Academia Joaquim Agostinho/UDO), relegando Pedro Silva (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) para o terceiro posto.

Fonte: FPC

“Dia longo de ciclismo ajuda a definir contas da Volta”

Venceslau Fernandes está mais “amarelo”

Venceslau Fernandes está cada vez mais perto do triunfo na 26ª volta a Portugal do Futuro Liberty Seguros. Este sábado foi dia de etapa dupla e serviu para o jovem corredor da Liberty Seguros/Carglass “respirar um pouco mais tranquilo” e distanciar-se da concorrência. São agora 21 segundos de diferença que o Camisola Amarela tem de vantagem sobre Tiago Antunes (Aldro) que em Castelo de Vide subiu ao segundo lugar da classificação geral. O anterior vice líder, Hugo Nunes (Miranda/Mortágua) baixou ao terceiro posto e a faltar apenas mais um dia de prova está a 33 segundos do comandante.

Etapa curta abriu caminho para o contrarrelógio decisivo

O dia longo de ciclismo começou em Abrantes pouco depois das dez da manhã. A quarta etapa tinha 79,9 quilómetros e terminaria em Castelo de Vide com uma discussão ao sprint no empedrado do centro da vila após uma subida final que não sendo muito difícil provocou alguns cortes de tempo no pelotão.

Francisco Campos (Miranda/Mortágua) impôs-se na chegada e triunfou pela segunda vez consecutiva. “Eu sabia que era preciso entrar na frente antes da reta da meta e só assim seria possível alcançar a vitória. A equipa esteve à altura dos desafios e trabalhou para que eu chegasse aqui e tivesse alcançado mais este objetivo.”

Iúri Leitão (Sicasal/Constantinos/Delta Cafés) na chegada a Castelo de Vide fez o segundo lugar e Venceslau Fernandes, tal como no dia anterior, foi terceiro. O Camisola Amarela Venceslau Fernandes manteve-se atento e tranquilo.“Ganhei mais quatro segundos ao Hugo Nunes – segundo classificado na geral individual – o que é muito bom! Nenhum de nós é especialista em contrarrelógio, mas vou dar tudo por tudo”. A declaração antecipava já a luta contra o cronómetro no período da tarde que poderia ajudar a decidir esta Volta.

O pulsar do cronómetro e a decisão da Volta

Falta ainda a etapa deste domingo para terminar a 26ª volta a Portugal do Futuro Liberty Seguros mas após o contrarrelógio da quinta etapa, nesta tarde de sábado, tudo ficou mais claro. Jorge Magalhães (Miranda/Mortágua) venceu o técnico, duro e intenso crono de 8,4 Km com o tempo de 12 minutos e 58 segundos. Só Tiago Antunes da equipa espanhola Aldro se aproximou do tempo canhão de Magalhães, ainda assim ficou a dez segundos da melhor marca.

O Camisola Amarela Venceslau Fernandes (Liberty Seguros/ Carglass) foi apenas sexto classificado a 51 segundos, mas teve um melhor desempenho que os mais diretos adversários, sobretudo de Hugo Nunes, e conseguiu arrecadar mais uns segundos que lhe permitem “estar mais tranquilo”.

“Isto hoje foi um dia de loucos”, confessou o filho mais novo do mítico vencedor da Volta a Portugal de 1984.“Foi praticamente um dia inteiro a andar de bicicleta quase sem recuperação e isso é de loucos. Durante o contrarrelógio, pela maneira como o meu director desportivo vinha a falar, fiquei com a sensação que tinha perdido a Amarela. No fim, chegar e verificar que afinal até aumentei a vantagem, foi muito satisfatório.”

A 26ª Volta a Portugal do Futuro Liberty Seguros termina este domingo com etapa que tem partida e chegada ao Festival Bike que está a decorrer nas instalações do Centro Nacional de Exposições de Santarém. A derradeira etapa começa às 15 horas e os definitivos 118 quilómetros vão terminar cerca das 18h20.

Fonte: Podium

“Campeonato Nacional de Madison”

Ivo e Rui Oliveira campeões nacionais de Madison

Por: José Carlos Gomes

Os irmãos Ivo e Rui Oliveira sagraram-se esta sexta-feira, campeões nacionais de madison, impondo-se na prova disputada no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia.

A dupla mais conceituada do ciclismo de pista português confirmou o favoritismo e conquistou o primeiro título nacional na disciplina olímpica. O resultado é importante, pois permite a Portugal somar mais pontos para o ranking internacional, contribuindo para a possibilidade de lutar por uma vaga na edição 2018/2019 da Taça do Mundo, passo essencial para trabalhar o apuramento para os Jogos Olímpicos.

A equipa formada por Ivo e por Rui Oliveira demonstrou grande superioridade ao longo das 100 voltas – 25 quilómetros -, vencendo oito dos dez sprints da prova. A dupla gaiense terminou a competição com 71 pontos.

A maior oposição surgiu de outros dois corredores que já têm corrida em conjunto ao serviço da Equipa Portugal de pista, João Matias e Miguel do Rego, que ficaram no segundo lugar, com 55 pontos. O terceiro posto foi ocupado pela dupla composta por César Martingil e Luís Gomes, com 40 pontos.

O fim-de-semana de ciclismo de pista prossegue, neste sábado, no Velódromo Nacional, com o Troféu Internacional Anadia 2020. A competição desenrola-se entre as 10h30 e as 14h20 e entre as 17h00 e as 18h10, juntando seis dezenas de corredores, elite e juniores, oriundos de oito países.

Fonte: FPC