domingo, 5 de novembro de 2017

“Alejandro Marque renova contrato com o Sporting-Tavira por dois anos”

Espanhol venceu Volta a Portugal em 2013

Foto: Lusa

O espanhol Alejandro Marque, vencedor da Volta a Portugal de 2013, renovou contrato por duas épocas com o Sporting-Tavira, confirmou à Lusa o ciclista galego.

Contratado pelos leões esta temporada, Marque prolongou o vínculo com a equipa de Tavira por dois anos. "A verdade é que me sinto confortável na equipa e gostava de acabar aqui a carreira", disse à Lusa o corredor de 36 anos.

Vencedor em 2013 e terceiro em 2015, o galego terá novamente a oportunidade de tentar chegar à vitória da Volta a Portugal, depois de, este ano, ter visto a sua candidatura ao pódio hipotecada por uma fissura numa costela.

O corredor de La Estrada, Pontevedra, fez praticamente toda a sua carreira em equipas portuguesas, tendo passado por Carvalhelhos-Boavista, Imoholding-Loulé, Madeinox-Bric-Loulé, Duja-Tavira, Onda, Carmin-Prio, OFM-Quinta da Lix, Efapel e Sporting-Tavira.

Fonte: Record on-line

“Taça do Mundo de Pista/Rui Oliveira 17.º em scratch”

Por: José Carlos Gomes

Rui Oliveira foi este sábado o 17.º classificado na prova de scratch da Taça do Mundo de Pista, competição que decorreu em Pruszków, Polónia, até este domingo.

O corredor português terminou a corrida de 15 quilómetros (60 voltas) no pelotão, com uma volta de atraso face ao belga Robbe Ghys, único corredor que dobrou o grupo principal, feito que lhe valeu a medalha de ouro. O segundo classificado foi o arménio Edgar Stepanyan, enquanto o holandês Roy Pieters fechou o pódio.

Numa corrida muito rápida, Rui Oliveira esteve envolvido na movimentação que viria a decidir o vencedor. O português integrou um grupo de fugitivos, no qual era claramente o mais forte, de tal modo que deixou todos os colegas de iniciativa para trás. No entanto, saído do pelotão, Robbe Ghys conseguiu alcançar o luso em cabeça de corrida. Mas o belga revelou-se mais forte e, descolando, Rui Oliveira decidiu esperar pelo pelotão, enquanto Ghys completava a volta de avança que lhe garantiu o triunfo.

“O ataque em que esteve envolvido provocou alguma fadiga, que não permitiu ao Rui estar melhor na fase final”, resume o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

A participação portuguesa na primeira etapa da Taça do Mundo terminou este domingo. Rui Oliveira competiu na disciplina olímpica de omnium, durante a tarde.

Fonte: FPC