sexta-feira, 17 de agosto de 2018

“Magnus Cort ganha quinta etapa da Binck Bank Tour”

Esloveno Matej Mohoric continua a liderar a geral

Por: Lusa

Foto: EPA

O dinamarquês Magnus Cort, da Astana, venceu esta sexta-feira a quinta etapa do Binck Bank Tour, prova de ciclismo que continua a ser liderada pelo esloveno Matej Mohoric, da Bahrein-Merida.

Cort liderou um grupo de quatro ciclistas que conseguiu ganhar 33 segundos ao pelotão, em que vinham Mohoric e os portugueses Nuno Bico, da Movistar (77.º) e Ruben Guerreiro, da Trek-Segafredo (78.º).

Na geral, Cort tem a liderança segura por três segundos sobre o belga Sean de Bie (Veranda's Willems Crelan). Guerreiro é o 99.º, a 3.30, e Bico o 105.º, a 3.43.

Fonte: Record on-line

“O Estoril Praia Triatlo e o Alhandra Sporting Clube vencem a Taça de Portugal 2018”

Taça de Portugal de Triatlo teve sete etapas e a vitória ficou decidida II Triatlo de Coruche

No dia 29 de julho realizou-se o II Triatlo de Coruche, com a sétima e última etapa da Taça de Portugal, na distância de super sprint. A vitória foi para o Alhandra Sporting Club em femininos e o Outsystems Olímpico de Oeiras ganhou a competição masculina.

As outras etapas na distância sprint passaram pelo Triatlo da Ervedeira, em Leiria, pelo Duatlo de Grândola, em formato de contrarrelógio individual, pela Taça de Quarteira, pelo Triatlo de Peniche, pelo Triatlo David Vaz, no Fundão, pelo Triatlo de Alhandra e finalmente pelo Triatlo de Coruche, que fechou o circuito da Taça, devido cancelamento da última etapa, que se iria realizar no dia 2 de setembro, em Viana do Castelo.

As outras etapas na distância sprint passaram pelo Triatlo da Ervedeira, em Leiria, pelo Duatlo de Grândola, em formato de contrarrelógio individual, pelo Triatlo de Quarteira, pelo Triatlo de Peniche, pelo Triatlo David Vaz no Fundão e pelo Triatlo de Alhandra troféu José Luís  Matos. A última etapa, que se iria realizar no dia 2 de setembro, em Viana do Castelo, foi cancelada.

Os clubes conseguiram adaptar-se às competições diversificadas que constituíram este ano a Taça de Portugal, o que pode comprovar-se pela variedade de equipas que venceram diferentes etapas, principalmente no setor masculino, que teve quatro equipas no primeiro lugar do pódio: o Alhandra Sporting Club, o Estoril Praia Triatlo, o Outsystems Olímpico de Oeiras e o Clube de Natação Torres Novas. Na competição feminina foram três as equipas que ganharam etapas da Taça; o Olímpico, o Sporting e o Alhandra, estas duas últimas muito consistentes pontuando três vitórias cada, com o Alhandra Sporting Club que venceu a última etapa, o que acabou por lhe dar vantagem na Taça de Portugal.

Fernando Correia, vice-presidente para o quadro de competições da FTP, considerou que foi uma «Taça de Portugal muito disputada, principalmente entre as equipas que discutiram os lugares cimeiros, tanto em masculinos como em femininos.» E salienta que ‘aquilo que a distinguiu foi precisamente a diversidade na constituição das etapas, com triatlo em diferentes distâncias e percursos e um duatlo contrarrelógio, pelo que as equipas tiveram que elaborar estratégias de adaptação para fazer face a essa diversificação’.

O formato deste ano da Taça de Portugal permitiu alargar as oportunidades a um maior número de clubes, o que aconteceu várias vezes, com novas equipas a apresentarem resultados. Fernando Correia salienta «que este formato foi uma aposta ganha, mas que, depois da adaptação do primeiro ano, é importante que haja mais clubes a apostarem nesta competição».

Os resultados da Taça de Portugal

O Estoril Praia Triatlo participou em todas as etapas da Taça de Portugal

Em masculinos, o Estoril Praia Triatlo venceu três etapas: a de Grândola (duatlo), Quarteira e Fundão, ficando em primeiro lugar na Taça de Portugal com 980 pontos. Já o Outsystems Olímpico de Oeiras foi o clube mais forte em duas etapas, Peniche e Coruche, tendo alcançado a segunda posição com 960 pontos. O Alhandra Sporting Club ganhou a primeira etapa alcançando a terceira posição com uma pontuação de 950.

Sendo o Estoril Praia Triatlo um projeto de 2015 , não tinham ainda em mente vencer a Taça. «Foi para nós uma vitória muito especial porque com um clube com apenas três anos de existência, nunca pensamos que fosse possível ganhar a Taça de Portugal! Tudo só aconteceu desta forma graças ao esforço individual de cada atleta que participou em algumas etapas apenas para ajudar a equipa. As vitórias coletivas dão muito trabalho, como costumo dizer», afirma Filipe Mendonça, coordenador do Estoril Praia Triatlo.

O mesmo profissional explica que a Taça de Portugal assume ainda maior importância pelo espírito de equipa que promove entre os atletas. «Cada atleta desenvolveu um esforço para participar nas provas, abdicando em alguns casos dos próprios objetivos individuais. Esta competição é por isso impulsionadora de valores importantes como o espírito de equipa e a entreajuda que ganham maior expressão em desportos individuais como é o caso do Triatlo».

A Taça é um troféu importante do Triatlo, com 30 clubes envolvidos e passagem de sete etapas de norte a sul do país. «Começamos mal na primeira etapa, uma prova complicada na Ervedeira, em que nos classificamos em 8º lugar. Mas equipa tomou novo fôlego ao vencer o Duatlo de Grândola de Contrarrelógio, uma «prova muito gira e que correu muito bem», como afirmou Filipe Mendonça, acabando ser também o Estoril a ganhar a etapa seguinte em Quarteira.

A 5ª etapa no Fundão, onde estava previsto realizar-se um triatlo olímpico sem roda, seria uma prova com fortes probabilidades de vencer, e apesar da alteração para sprint com roda, a equipa do Estoril Praia Triatlo alcançou a primeira posição, o que reforçou a liderança.

«A principal estratégia foi o planeamento, em que se optou por participar em todas as etapas, para poder pontuar em todas as provas», diz Filipe Mendonça. «A excelência dos atletas que temos ajudou na tarefa de conseguir o título, assim como o nosso patrocinador, dois fatores que decidiram a vitória.»

O coordenador do Estoril gostou deste modelo da Taça de Portugal, com etapas heterogéneas, ainda que as duas etapas com provas de distância standard tivessem acabado por não se realizar «Este formado premeia não apenas as equipas regulares, mas também as mais diversificadas, que se adaptam a provas diferentes.» E termina reforçando a importância destas competições nos desportos individuais que, como o triatlo, correm o risco de tornar muito ‘umbiguistas’! «O trabalho em equipa faz-nos pensar em coisas importantes da vida! Embora já tenha havido este ano algum esforço de projetar a Taça de Portugal, talvez faça sentido arranjar um patrocinador que ajude a impulsionar esta competição como ela merece.»

Os resultados da Competição Feminina

O pódio de Coruche com o Alhandra, o Sporting e o Benfica. O Alhandra empatou com o Sporting em pontuação, mas a vitória na última etapa colocou-o no 1º lugar da Taça

Em femininos, a equipa vencedora foi o Alhandra Sporting Club que pontuou 1010, a segunda posição pertenceu ao Sporting Clube de Portugal com a mesma pontuação e o terceiro lugar foi para o CNCVG Triatlo com 850 pontos. Na competição feminina, o Alhandra Sporting Club e o Sporting Clube de Portugal foram dois clubes com resultados muito consistentes, tornando o campeonato muito renhido entre estas duas equipas. As duas equipas empataram em vitórias, ganhando ambos com três etapas, tendo o Alhandra conseguido o primeiro lugar na última etapa, em Coruche, resultado que o colocou na primeira posição da Taça. Além destes dois clubes, o Outsystems Olímpico de Oeiras conseguiu alcançar a vitória na primeira etapa da Ervedeira.

Jorge Leitão, presidente da secção de triatlo do Alhandra Sporting Club, considerou a Taça de Portugal: «um momento positivo», afirmando também que o balanço é sempre bom quando se alcança a vitória.

Segundo o presidente, o Alhandra Sporting Clube é um clube que treina triatletas, mas, mais do que isso, pretende formar boas pessoas para a vida, muito embora, claro, os resultados estejam sempre no horizonte. «Quando o Alhandra entra em prova tenta chegar ao mais alto lugar no pódio, mais ainda quando se trata das equipas femininas que tão bons resultados têm alcançado, por isso foi com esse espírito que entrámos nesta competição». A vitória chegou mais cedo, com o cancelamento de Viana do Castelo, e ‘fomos felizes ao ganhar a última etapa’.

«Para poupar alguns triatletas que têm outros compromissos desportivos, a estratégia passa por gerir as provas, escolhendo algumas delas, já que é possível optar pelas cinco melhores pontuações», explica Jorge Leitao.

Quanto aos objetivos do Clube, o Alhandra Sporting Club é campeão de duatlo feminino pela terceira vez: «Falta-nos um título que ainda esperamos alcançar, que é o Campeonato Nacional de Clubes, ainda com uma prova de estafetas por realizar, em Lisboa.»

Jorge Leitão considera que o trabalho de equipa como aquele que é realizado em competições como a Taça de Portugal é muito importante. «O facto de se depender de outras pessoas leva-nos a ter consciência da importância essencial da entreajuda; o que tem importância como desportista e como cidadão», conclui.

Terminado o circuito da Taça de Portugal, a Federação de Triatlo de Portugal está já a planear o próximo calendário competitivo, pelo que irá apresentar novidades no mês de setembro de 2018.

Fonte: FTP

“Galo's Urban Race 2018”

Depois dos êxitos das anteriores edições, a Associação Cultural e Recreativa de Roriz (ACR Roriz), em parceria com Câmara Municipal de Barcelos, promete animar, novamente, a cidade durante a noite do próximo dia 1 de setembro.

As “Três Horas BTT Resistência Barcelos” é um empolgante desafio dirigido aos amantes do BTT. Será disputado em circuito com base no centro da cidade histórica, extensível às áreas verdes (jardins), à zona fluvial, às ruas de empedrado, recantos e locais recônditos, onde cada local está interligado à riquíssima História e Património Barcelense.

O início está marcado para as 20h00, tendo a prova a distância de 6km, em circuito urbano.

As inscrições são limitadas.

Mais informações em: www.galosurbanrace.com    

Fonte: ACR Roriz

 

 

 

“Equipa Portugal/Rui Oliveira quarto no arranque da Volta a França do Futuro”

Por: José Carlos Gomes

O português Rui Oliveira foi o quarto classificado na primeira etapa da Volta a França do Futuro, hoje ganha pelo alemão Max Kanter, ao cabo de 138,2 quilómetros, disputados entre Grand-Champ e Elven. Equipa Portugal comanda por equipas.

A tirada foi rápida e terminou de acordo com o guião esperado, com uma acesa luta entre sprinters. O mais forte foi o alemão Max Kanter, já contratado pela equipa WorldTour Team Subweb para as próximas duas temporadas. O segundo foi o polaco Alan Banaszek e o terceiro foi o francês Damien Touzé.

A Equipa Portugal trabalhou para que Rui Oliveira pudesse discutir a etapa e o trabalho foi bem sucedido. “A equipa esteve bem no controlo do pelotão, ajudando a anular a fuga e trabalhando para colocar bem o Rui para a chegada. O Rui foi o primeiro a arrancar, saindo na frente da última curva, a 200 metros da meta. Arriscou. Hoje não deu, pode ser que amanhã consiga”, afirmou o selecionador nacional, José Poeira, satisfeito com o desempenho do coletivo e esperançado em subir ao pódio nas próximas jornadas.

Toda a Equipa Portugal terminou integrada no primeiro pelotão, com o mesmo tempo do vencedor. Ivo Oliveira foi 20.º, Tiago Antunes 26.º, João Almeida 66.º, André Ramalho 74.º e Marcelo Salvador 79.º. A Volta a França do Futuro não atribui bonificações nas etapas, pelo que o posicionamento na geral é o mesmo da tirada.

A consistência do bloco nacional coloca a Equipa Portugal no topo da classificação coletiva.

A segunda etapa corre-se neste sábado, numa viagem de 144,2 quilómetros, Drefféac e Châteaubriant. O final, prevendo-se para velocistas, terá os últimos 300 metros em subida, com uma inclinação de 5 por cento, num encerramento de etapa muito técnico.

Fonte: FPC

“MARCELO NA VOLTA A FRANÇA DO FUTURO”

Texto e foto: AfterTwo //Works

Marcelo Salvador vai representar Portugal no Tour de L`Avenir, competição de 10 etapas que irá atravessar o território Francês entre os dias 17 e 26 deste mês e que terá transmissão direta na Eurosport TV.

O ciclista da Sicasal-Constantinos-Delta Cafés foi um dos 6 atletas que mereceu a confiança do Selecionador Nacional José Poeira para disputar a Volta a França do Futuro, a mais importante competição do Mundo no escalão sub-23, grande montra internacional para jovens talentos com ambição em atingir o profissionalismo ao mais alto nível.

Há muito que Marcelo é um dos atletas referenciados pela Federação Portuguesa de Ciclismo para representar a Equipa Portugal em provas internacionais, mas esta será a maior oportunidade de mostrar o seu valor além-fronteiras.

De partida para terras gaulesas, o jovem de Alcabideche exprimiu toda a sua satisfação, considerando que “ é o m a i o r d e s a f i o d a minha vida. U m a enorme felicidade estar entre este lote restrito de atletas que irão representar Portugal nesta competição tão importante.

Tenho trabalhado arduamente para conseguir chegar aqui, mas sem o apoio da família, do s m e u s colegas, treinador e restante staff d a equipa, nunca seria possível. Muito obrigado a todos, farei tudo o que estiver ao meu alcance para ajudar a dignificar o ciclismo Português e todos os que estão comigo nesta caminhada ”  

Esta nomeação é o reflexo do excelente trabalho que a equipa da Academia Joaquim Agostinho tem vindo a realizar na formação de novos talentos do ciclismo nacional, como prova a inserção de quatro atletas no ciclismo profissional em 2018, entre outros bons exemplos em anos anteriores.

 Fonte: Academia Joaquim Agostinho