domingo, 26 de fevereiro de 2017

“9º Btt Trilhos do Pisão”

Dia 7 de maio de 2017

“Grupos de Idade 2017”

Os Grupos de Idade são um eixo de desenvolvimento central para a Federação de Triatlo de Portugal. Para conseguir garantir o devido apoio a este grupo-alvo a FTP elegeu, dentro da sua estrutura, o Diogo Custódio, como responsável e interlocutor para esta área.

O Diogo tem a seu cargo a reformulação de todo o projeto de Grupos de Idade para 2018 e também o acompanhamento dos atletas já esta época.

Nesse âmbito, já se encontra disponível no nosso site o Formulário de Intenção de Participação em provas internacionais para Atletas Age Groups.

O preenchimento do Formulário apenas demonstra a intenção de participação nas provas. Depois de demonstrarem a sua intenção de participação, os atletas deverão receber um email a informar de quais os passos a efetuar para concluírem a sua inscrição.

Também se encontra para consulta o Regulamento de Participação Internacional. Por dificilmente se preencherem os totais de vagas para AG’s portugueses, não existirão provas/critérios de seleção para 2017.

Não perca esta oportunidade de representar Portugal e venha fazer da nossa equipa nos mais diversos eventos internacionais.

Posteriormente serão informados os apoios para as participações.

Fonte: FTP

“Outsystems Olímpico de Oeiras dominante no Barreiro”

O Outsystems Olímpico de Oeiras dominou o Duatlo do Barreiro, segunda etapa da Taça de Portugal PORterra, ao ser vencedor da prova feminina e masculina.

Mais de uma centena de duatletas aceitaram o desafio de competir nos percursos desafiantes da Mata da Machada. Com um total de 5km de corrida, 21,2km de ciclismo e 2,5km de corrida final caracterizados por percursos exigentes, com single tracks e terrenos mistos de terra batida e piso arenoso, a prova apresentou-se como uma verdadeira experiência para os amantes do todo-o-terreno.

A prova masculina observou a uma verdadeira disputa pela vitória, com um novo líder no final de cada segmento. Rui Narigueta e Rui Dolores destacaram-se durante a maior parte da competição ao desempenharem performances de grande qualidade durante o segmento de ciclismo. A próximidade entre os dois atletas só se pode anular durante a última parte da prova. Com uma grande prestação nos 2,5km finais de corrida, Rui Narigueta, Outsystems Olímpico de Oeiras, sagrou-se vencedor da segunda etapa da Taça de Portugal PORterra. Rui Dolores, Amiciclo Grândola, repetiu o lugar conseguido nas Lezírias, e terminou a prova no segundo posto. A completar o pódio masculino, na terceira posição, ficou Octávio Vicente do Núcleo do Sporting da Golegã.

Sheila Marques volta a ser a protagonista feminina da Taça de Portugal PORterra. A duatleta do Outsystems Olímpico de Oeiras voltou a dominar a competição individual em grande estilo ao liderar a competição feminina desde os seus momentos iniciais. Com grandes prestações nos segmentos de corrida e ciclismo, Sheila Marques cortou a meta instalada na Mata da Machada com uma vantagem superior a um minuto e meio em relação à segunda classificada, Irina Coelho, Bike Clube S. Brás. Filipa Gonçalves, Núcleo do Sporting da Golegã, completou o pódio feminino no terceiro lugar.

Em termos coletivos o Outsystems Olímpico de Oeiras conseguiu pela segunda vez consecutiva a dobradinha na competição. Repetiu o feito alcançado na primeira etapa, Duatlo das Lezírias, e fortalece a liderança da Taça de Portugal PORterra em femininos e masculinos. O Núcleo do Sporting da Golegã foi segundo classificado coletivamente na prova feminina e o Escola Triatlo Santo António Évora foi terceiro. Em masculinos o Amiciclo Grândola repetiu o segundo lugar e o GCA Donas – Triatlo somou o terceiro.

Na mesma tarde foi disputada uma prova aberta que percorreu, no mesmo local, percursos de 2,5km de corrida, 10,6km de ciclismo e 1,4km de corrida. Malvina Gomes e João Cordeiro, GCEAmadora, foram os grandes vencedores da prova.

O Duatlo do Barreiro foi um evento organizado conjuntamente pela Câmara Municipal do Barreiro e pela Federação de Triatlo de Portugal que procurou dinamizar a modalidade, com enfase nas provas de todo-o-terreno. A próxima etapa da Taça de Portugal PORterra será disputada sob o formato de Triatlo nos dias 27 e 28 de Maio na Golegã, onde esperamos encontrar reunida a família da nossa modalidade.

Fonte: FTP

“Rui Costa sobe ao 5.º posto no ranking da UCI"

Vitória na Volta a Abu Dhabi rende preciosos pontos ao português

Foto: EPA

O triunfo de Rui Costa na Volta a Abu Dhabi, alcançado este domingo, deu ao ciclista português preciosos pontos, permitindo-lhe a subida ao 5.º posto no ranking da UCI, agora com um total de 346 pontos, à frente do campeão mundial Peter Sagan.

Na liderança desta classificação continua o australiano Richie Porte, da BMC Racing, com 672 pontos, à frente do colombiano Esteban Chaves. À frente do português estão ainda mais dois australianos (Nathan Haas e Jay McCarthy).

Por equipas, a UAE Emirates, da qual faz parte Rui Costa e que conquistou este domingo a primeira vitória numa corrida por etapas da sua curta história - o conjunto sedeado nos Emirados Árabes Unidos estreou-se este ano -, ocupa também o 5.º lugar num ranking liderado pela BMC.

Ranking da UCI

1. Richie Porte (Austrália/BMC Racing), 672 pontos

2. Esteban Chaves (Colômbia/Orica), 422

3. Nathan Haas (Austrália/Dimension Data), 395

4. Jay McCarthy (Austrália/BORA), 385

5. Rui Costa (Portugal/UAE Emirates), 346

6. Peter Sagan (Eslováquia/BORA), 325

7. Caleb Ewan (Austrália/Orica), 305

8. Greg Van Avermaet (Bélgica/BMC Racing), 300

9. Nikias Arndt (Alemanha/Sunweb), 300

10. Ilnur Zakarin (Rússia/Katusha), 265

Ranking por equipa

1. BMC Racing (Estados Unidos), 1210

2. Orica (Austrália), 1077

3. BORA (Alemanha), 923

4. Sunweb (Alemanha), 695

5. UAE Emirates (Emirados Árabes Unidos), 654

6. Katusha (Suíça), 633

7. Quick-Step (Bélgica), 578

8. Trek (Estados Unidos), 558

9. Dimension Data (África do Sul), 483

10. LottoNL (Holanda), 407

11. Team Sky (Grã-Bretanha), 379

12. Cannondale (Estados Unidos), 359

13. AG2R (França), 331

14. Lotto (Bélgica), 315

15. Astana (Cazaquistão), 282

16. Movistar (Espanha), 180

17. Bahrain (Bahrain), 114

18. FDJ (França), 68

Fonte: Record on-line

“Rui Costa ganha Volta a Abu Dhabi”

Australiano Caleb Ewan conquista última etapa

Por: Ana Paula Marques

Foto: EPA

Rui Costa, da UEA Emirates, venceu este domingo a Volta a Abu Dhabi, cuja última etapa se disputou no circuito de Fórmula 1 de Yas Marina e que foi ganha ao sprint pelo australiano Caleb Ewan, da Orica. O ciclista português terminou a prova do Médio Oriente com quatro segundos sobre o russo Ilnur Zakarin, da Katusha, sendo que o terceiro lugar foi para o holandês Tom Dumoulin, da Sunweb, a 16 segundos.

Rui Costa já tinha ganho em janeiro uma etapa na Volta a San Juan, na Argentina, e o triunfo conquistado este domingo aconteceu no país da sua equipa, depois de no sábado ter ganho a tirada rainha.

1. Caleb Ewan (Austrália/Orica), 3.03.06 horas

2. Mark Cavendish (Grã-Bretanha/Dimension Data), m.t.

3. Andre Greipel (Alemanha/Lotto), m.t.

4. Niccolo Bonifazio (Itália/Bahrain), m.t.

5. Matteo Pelucchi (Itália/BORA), m.t.

6. Roger Kluge (Alemanha/Orica), m.t.

7. Julian Alaphilippe (França/Quick-Step), m.t.

8. Alexander Porsev (Rússia/Gazprom), m.t.

9. Kiel Reijnen (Estados Unidos/Trek), m.t.

10. Rick Zabel (Alemanha/Katusha), m.t.

(...)

14. Rui Costa (Portugal/UAE Emirates), m.t.

Classificação final

1. Rui Costa (Portugal/UAE Emirates), 15.42.21 horas

2. Ilnur Zakarin (Rússia/Katusha), a 4 segundos

3. Tom Dumoulin (Holanda/Sunweb), a 16 s

4. Bauke Mollema (Holanda/Trek), a 38 s

5. Julian Alaphilippe (França/Quick-Step), a 53 s

6. Rafal Majka (Polónia/BORA), a 56 s

7. George Bennett (Nova Zelândia/LottoNL), m.t.

8. Fabio Aru (Itália/Astana), m.t.

9. Domenico Pozzovivo (Itália/AG2R), m.t.

10. Patrick Konrad (Áustria/BORA), a 1.07 minutos

Fonte: Record on-line

“Volta ao Alentejo/Nelson Oliveira estrea-se na prova”

Ciclista português afirmou que pretendeu ajudar Barbero a conquistar o primeiro lugar.

Foto: AFP or licensors

Aos 27 anos e depois de oito épocas como profissional, Nelson Oliveira (Movistar) estreou-se, finalmente, na Volta ao Alentejo em bicicleta e na quinta e última etapa da 35.ª edição, espera levar Carlos Barbero à vitória.

O tricampeão nacional de contrarrelógio lança uma gargalhada quando confrontado com a sua estreia ‘fora de horas’ na ‘Alentejana’: “Foi a minha vida profissional que foi construída dessa forma. Fui para fora muito cedo, com pouca idade – tinha 20 anos, salvo erro, quando passei a profissional [na Xacobeo Galicia] -, e não tive oportunidade de correr anteriormente a Volta ao Alentejo. Passados oito anos como profissional, cá estou”.

Para Nelson Oliveira, mais vale tarde do que nunca e a estreia não podia estar a correr melhor.

“Há corridas melhores e piores, mas esta está a ser bastante boa, apesar de ter alguns percalços durante o percurso, como as chegadas um bocadinho perigosas. Está a correr bem. Agora, vamos ver se conseguimos levar o líder até ao final. Vamos tentar, pelo menos”, disse à Agência Lusa, referindo-se ao seu colega, o espanhol Carlos Barbero, que hoje se pode tornar no primeiro ciclista a vencer duas edições da ‘Alentejana’.

Para segurar a amarela ao corpo de Barbero, a Movistar tem trabalhado e muito na frente da corrida, mas o ciclista da Vilarinho do Bairro (Anadia) defende que as médias elevadas não são da responsabilidade da única equipa do WorldTour presente na prova portuguesa.

“O que se passa é que estão aqui muitos jovens e eles têm uma motivação extra. São novos e querem demonstrar o seu valor e fazem uma corrida mais ao seu jeito, como faziam em juniores e cadetes. Lembro-me bem dessas corridas e de como eu era. Por isso, é que temos andado bastante rápido. As bonificações também ajudam a isso. A verdade é que esta corrida está a ser bastante rápida, o que a torna muito dura”, explicou.

Hoje, e depois de oito épocas como profissional, Nelson Oliveira olha para os ‘miúdos’ do pelotão e analisa-os quase como um ‘veterano’.

“A maior parte deles tem 20, 22 anos, são as primeiras corridas com profissionais. Ficam um bocadinho nervosos, o que é normal. Por isso é que, por vezes, há quedas. Começo a olhar para as idades e a ver que começo a ficar velho”, brincou o sétimo classificado do contrarrelógio do Rio2016.

Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Participação positiva da EFAPEL na Volta ao Alentejo”

Equipa está cada vez mais competitiva

A equipa de ciclismo EFAPEL terminou a sua participação na 43ª edição da Volta ao Alentejo com Rafael Silva no 12º lugar da classificação geral individual e uma demonstração de competitividade crescente que só não se traduziu num resultado no pódio devido a um acidente na etapa de ontem. Para os elementos da estrutura, fica a evolução positiva, o grande entrosamento que os corredores já evidenciam e a certeza que a tendência é para melhorar.

A última etapa da “Alentejana” ligou Ferreira do Alentejo a Évora. Os ciclistas percorreram 168,9 km e, na primeira parte da tirada, houve uma fuga que se destacou. Mas com o aproximar da meta, o pelotão anulou a diferença. A mais de 25 quilómetros da chegada os corredores ainda se separaram em dois grupos, mas a chegada foi feita num só grupo compacto, que se estendeu devido à técnica que a chegada na Praça do Giraldo exige de quem pedala.

Aí, Rafael Silva foi o primeiro elemento da EFAPEL a cruzar a meta. A formação liderada por Américo Silva voltou a mostrar que o colectivo é o seu ponto mais forte, com um trabalho de equipa ao longo de cinco dias que servirá, certamente, para melhorar ao longo dos treinos e das competições futuros.

Feitas duas corridas por etapas num período inferior a duas semanas, a equipa EFAPEL prepara-se agora para as provas de um dia. A primeira desta fase é já no próximo domingo, dia 5 de março. É a Clássica da Arrábida, prova internacional com 186,6 quilómetros entre Setúbal e Palmela.

Classificação da quinta etapa

    Juan Molano Benavides    Manzana Postobon            4h05m50s

    Christopher Lawless        Axeon Hagens Berman        mt

    Dylan Page            Caja Rural-RGA Seguros        mt


28º    Rafael Silva            EFAPEL                a 3s

42º    Daniel Mestre            EFAPEL                a 13s

58º    Mateo Garcia            EFAPEL                a 35s

63º    Álvaro Trueba        EFAPEL                a 38s

64º    Sérgio Paulinho        EFAPEL                mt

79º    Bruno Silva            EFAPEL                a 1m00s

90º    Henrique Casimiro        EFAPEL                a 2m09s

126º    António Pereira Barbio    EFAPEL                a 5m05s

 

Classificação geral individual

    Carlos Barbero        Movistar Team                20h28m04s

    Rinaldo Nocentini        Sporting/Tavira            a 16s

    Jasper De Laat        Metec-TKH                a 25s


12º    Rafael Silva            EFAPEL                a 38s

18º    Daniel Mestre            EFAPEL                a 45s

30º    Sérgio Paulinho        EFAPEL                a 1m50s

35º    Álvaro Trueba        EFAPEL                a 3m04s

43º    Mateo Garcia            EFAPEL                a 6m32s

64º    Henrique Casimiro        EFAPEL                a 18m37s

68º    Bruno Silva            EFAPEL                a 19m35s

120º    António Pereira Barbio    EFAPEL                a 30m41s

Fonte: Efapel

“Bis de Barbero faz história na “Alentejana”

Carlos Barbero (Movistar Team) tornou-se, este domingo, em Évora, o primeiro corredor a inscrever, por duas vezes, o nome na lista de vencedores da Volta ao Alentejo em bicicleta. O espanhol de 25 anos quebrou uma “teimosia” que durou 34 edições fazendo da “Alentejana” um caso desportivo único no mundo do ciclismo em provas por etapas.

Sem ganhar uma única vez mas “especialista” em aproveitar todas as oportunidades para bonificar, Barbero mal terminou a prova fez questão de aguardar em plena reta da meta para saudar os companheiros de equipa e festejar a vitória em conjunto. “Sem os meus colegas de estrada nada seria impossível, tenho de agradecer o trabalho de toda a semana porque foram espetaculares”, desabafou o corredor de Burgos. “Queria quebrar esta famosa tradição. É algo muito importante para mim.” E assim se fez história na Volta ao Alentejo!

Ao fim de cinco dias a percorrer todas as latitudes da região alentejana, uma Évora solarenga e com uma imensa multidão espalhada nos últimos metros do percurso que terminou na praça do Giraldo, assistiu a novo triunfo de etapa do colombiano Juan Molano Benavides (Manzana Postobón) na última tirada da “Alentejana”. Sebastian Molano, como é mais conhecido fora da Europa, provou, tal como na chegada a Mértola, ser bastante forte em sprints discutidos em plano inclinado e empedrado.

Já líder e portador da Camisola Amarela Crédito Agrícola desde a segunda etapa, Carlos Barbero chegou a Évora no quinto lugar, mas a vantagem para “bisar” na “Alentejana” era suficiente e o segundo na geral, o italiano do Sporting/Tavira, Rinaldo Nocentini, já não assustava. Nas contas finais ficou a 16 segundos enquanto o holandês Jasper de Laat (Metec-TKH) fechou o pódio com mais 25 segundos e a Camisola Branca RTP de melhor jovem em prova.

Uma etapa de luta e consagração

O sorriso aberto do astro rei foi o maior amigo da quinta e derradeira etapa da Volta ao Alentejo e encorajou um grupo de cinco corredores a isolar-se na frente com apenas cinco quilómetros percorridos depois da partida de Ferreira do Alentejo. Andreas Vangstad (Team Sparebanken), Julen Irizar (Euskadi), Adam de Vos (Rally Cycling), Bas Tietema (An Post Chain) e Marcin Mrozek (CCC Sprandi) não conseguiram nunca grande vantagem porque o pelotão, sobretudo controlado pela Movistar, não permitiu grandes distâncias. 


O grupo foi alcançado a 25 quilómetros da chegada, mesmo a tempo dos dois primeiros da classificação geral discutirem a Meta Volante de Arraiolos onde Nocentini conseguiu roubar um escasso segundo a Barbero. A passagem na terra dos tapetes deixou o grupo dividido em dois mas as decisões estavam no primeiro conjunto onde seguiam os aspirantes à vitória em Évora. Foi em pleno coração da cidade Património da Humanidade que se fizeram as contas finais e se escreveu mais uma página da “Alentejana”. 

Para além de vencer a Camisola Amarela Crédito Agrícola, Carlos Barbero (Movistar Team) garantiu também a Camisola Preta KIA, da classificação por pontos ou regularidade. Aldemar Ortega (Manzana Postobón) foi o melhor trepador da “Alentejana” e desde o primeiro dia envergou a Camisola Castanha Delta Cafés.

Carlos Barbero, o promissor espanhol

Natural de Burgos, Carlos Barbero tem 25 anos e está a concluir o curso de Engenharia Mecânica Industrial. Iniciou a carreira profissional no ciclismo, em 2012, e um ano depois conseguiu a primeira vitória. Neste momento já soma quatro triunfos. Considerado um dos corredores mais promissores de Espanha, Barbero estreou-se este ano no World Tour com a Movistar e agora marca a história da “Alentejana” ao vencer pela segunda vez.

A competição é uma organização conjunta da CIMAC Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e da Podium Events com o patrocínio de Crédito Agrícola; KIA; Delta Cafés; RTP; Vila Galé Hotéis; Vitalis; KTM Bikes; Fundação INATEL; Jornal de Notícias; Antena 1; PACTO; Cision; Centro de Informação Geoespacial do Exército; Infra-estruturas de Portugal; GESAMB e com o apoio institucional de Turismo do Alentejo e Ribatejo; CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo; CIMAL – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral e da Junta de Freguesia de Alcáçovas – Arte Chocalheira – Património Cultural Imaterial da UNESCO; e as Câmaras Municipais de Portalegre, Castelo de Vide, Monforte, Portel, Mourão, Mértola, Odemira, Alcácer do Sal, Ferreira do Alentejo e Évora.

Fonte: Podium

Reportagem no “O Praticante” da “15ª Peregrinação e Bênção Nacional dos Ciclistas”

O “O Praticante” publicou a reportagem do evento: da “15ª Peregrinação e Bênção Nacional dos Ciclistas” realizada este domingo em Fátima, a mesma pode ser visualizada em: http://www.opraticante.pt/15a-peregrinacao-bencao-nacional-dos-ciclistas/  ou em: http://www.opraticante.pt/  onde pode ainda visualizar outras notícias.

“Galeria Multimédia” divulgação das Fotos da “15ª Peregrinação e Bênção Nacional dos Ciclistas”

Já estão on-line na “Galeria Multimédia”, as fotos da “15ª Peregrinação e Bênção Nacional dos Ciclistas” realizada este domingo em Fátima, as mesmas podem ser visualizadas em: https://photos.google.com/share/AF1QipN0Lcn1-0If-QjndCE9SlubjBTL8JZYXId_6kzK2ZRZB6oSt2vIkSuPODvO8mFS7A?key=T0wwT2xzS1dPeUhEVXlkXzMyOFJSNmljNHZJUm1n

“15ª Peregrinação e Bênção Nacional dos Ciclistas”

Centenas pedalam em Fátima

 

Texto: José Morais

Fotos: Helena e José Morais 

O nome mais comum é “Fátima” conhecido a nível mundial, a Cova de Iria como é mais conhecida, pelo Altar do Mundo, foi este domingo 26 de fevereiro evadida por muitas centenas de ciclistas, oriundos um pouco de todos os pontos do País, para participar neste ato de Fé, onde os ciclistas mais um ano foram pedir proteção à Virgem Maria na estrada, para todos os ciclistas do mundo.

Na sua 15ª edição, este ano realizada no domingo gordo, teve a sua parte melhor, pelas excelentes condições climatéricas, já que com a ajuda de São Pedro, esta foi uma das poucas edições, onde a chuva não marcou presença, e o sol aqueceu todos que por lá passaram.

Fátima, bem cedo começou a ser evadida por amantes das bicicletas, a concentração estava marca para as 10 horas, ciclistas, familiares, amigos, iam chegando ao parque número 12, o tradicional ponto de encontro, onde podíamos encontrar ciclistas vestido a rigor, simples utilizadores de bicicleta com uma roupa formal, e ainda as tradicionais bicicletas antigas, com todos vestidos a rigor com traje da época, e onde se reviveram amigos, se confraternizou, e se recordaram bons momentos de outras Bênçãos, contando ainda como tem sido habitual, com D. Serafim Ferreira e Silva - Bispo Emérito da Diocese de Leiria/Fátima a dar a boas vindas e cumprimentando todos os presentes.

Pelas 10.45 era dado início ao tradicional passeio por D:Serafim, o destino foi Aljustrel, onde no Calvário Húngaro, Capela de S. Estêvão, em Valinhos, todos se reuniram para pelas 11.30, assistirem à Santa Missa, seguida da tradicional Bênção dos Ciclistas, que mais um ano foi Presidida por D. Serafim Ferreira e Silva, Bispo Emérito da Diocese de Leiria/Fátima.


Olhando o evento:

Com a organização da União de Ciclismo de Leiria, e mais um ano, o apoio da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), a 15ª Bênção do Ciclistas continua a ser um evento muito querido de muitos, onde acima de tudo, a Fé, continua a mover grandes multidões, e muitos fazem sem dúvida grandes sacrifícios para estarem presentes, e faça sol ou chuva, todos os anos tentam marcar presença, com sacrifício, temos exemplo de participantes de vários pontos do país, muitos se deslocam de automóvel, para depois fazerem o pequeno passeio, mas muitos são os que vão de bicicleta até Fátima, e nesta edição, muitos fizeram um grande sacrifício ao levantarem-se pelas 3 horas da manhã, e pedalarem até ao local da concentração, são casos inexplicável que nem os próprio conseguem descrever, apenas confessam que é algo que dentro deles lhes diz, façam que conseguem, e que de ano para ano, vão marcando presença, algo que apenas temos de respeitar.

E como tem sido habitual, uma das peças mais importantes deste evento, que desde o seu primeiro dia se realizou, é de D. Serafim Ferreira e Silva, também ele um amante da bicicleta, do ciclismo, que esteve mais uma vez presente, e no final da homília e da Bênção, falou á nossa reportagem fazendo um balanço, e deixando a sua mensagem para todos, ao dizer: “Este ano a natureza colaborou, e nesta 15ª edição saliento uma ideia que coloquei as estes ciclistas, que é o facto de andarem em duas rodas, falei do equilíbrio, mas ao mesmo tempo do equilibrismo, por oposição, a primeira deve-se procurar, a segunda não, e falei do significado simbólico, das duas rodas que é um plural de cada um de nós, é um e outro, que de nós, é hoje e ontem, cada um de nós é passado ou futuro, é este conjunto que não nos deve dar duplicidade, não devemos ser duplo, mas devemos ser plurais, foi a mensagem aos ciclistas, e todos que quiserem ouvir-me.

A mensagem que quero dizer a todos não e a ginástica, não é o atletismo, não é o ciclismo, mas é a vida saudável, é o movimento, e a deslocação não apenas geográfica, mas uma mobilidade do tempo, para fora do tempo, devemos ser uns bons atletas, neste sentido de ultrapassar barreiras.

Hoje terminou a 15ª Bênção, vamos pensar na 16ª edição, e se o São Pedro me deixar vir, mesmo não sendo de bicicleta, mesmo que seja via satélite, mas se estiver cá, mesmo vir a pé é bom, desejo boa viaja a todos, e até 2018”.

Estas as palavras de D. Serafim, mas também Carlos Vieira, o presidente da União de Ciclismo de Lisboa, falava á nossa reportagem e dizia: “Este ano foi uma Bênção de ouro, pode dizer como D. Serafim disse, foi uma Bênção abençoada, o tempo ajudou, embora em período de carnaval, um senão, mas não se poderia ter outra alternativa, mas felizmente estiveram aqui muitas centenas e centenas de pessoas, sentiram bem este calor, calor humano, e o dia de sol com que fomos brindados, próprio para as Bênção.

Agora é tempo de começar a pensar já na próxima edição, tentando arranjar uma data para a próxima Bênção, já isto não para os ciclistas necessitam deste momento de Fé, de D. Serafim, de Nossa Senhora, por isso estaremos aqui para esse cumprimento.

Como mensagem final, será a que vimos anualmente pedir aqui, e que eu costumo dizer, a todos os ciclistas, a todos que andam na estrada, sejam ciclistas, cicloturistas, utilizadores de bicicleta, amantes das bicicletas, é aquilo que viemos pedir aqui, é o amparo nas estradas de Portugal e todos o mundo, e para todos vocês ciclistas, em nome de Nossa Senhora, os que estiveram aqui, e para os que não estiveram, estivemos a rezar por todos, e que todos cheguem bem aos seus destinos”.

Palavras de Fé, palavras de conforto, palavras de humildade, gente com muita Fé, independentemente do seu estado social, estiveram este domingo em Fátima, todos foram peregrinos, e todos tiveram como objetivo, uma coisa em comum, o estado de espirito, algo em que acreditam, mesmo não sabendo explicar o porque, na Cova de Iria continua a haver muita Fé, que mesmo não sendo católico, toca no coração de todos os que por lá passam, sentindo o tal algo inexplicável.

Ficam os votos de bons passeios, boas pedaladas, com a promessa de marcarmos novamente em 2018, para a 16ª edição da “Peregrinação e Bênção Nacional dos Ciclistas”.

Pode visualizar mais fotos deste artigo em: