segunda-feira, 17 de julho de 2017

“3.º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road”

Boticas – Belmonte – Arraiolos – Lagoa

20 a 23 de setembro 2017

Aventura com magia de Lés-a-Lés

Concebida, delineada e produzida para os adeptos da condução em fora de estrada, fãs do mototurismo pelos caminhos menos conhecidos, apaixonados pelas grandes aventuras com pneus de tacos, a 3.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés Off-Road vai levar pelotão de 300 participantes de Boticas a Lagoa, ao longo de três etapas com paragem em Belmonte e Arraiolos, entre os dias 20 e 23 de setembro. As inscrições estão abertas em www.les-a-les.pt  até final de agosto e a Federação de Motociclismo de Portugal promete três etapas, a rondar os 300 quilómetros diários, com índice de dificuldade bastante acessível (baixo ou moderado e sem complicações trializantes) pensado para ser facilmente transponível mesmo para as maiores das maxi-trail.

Muita diversão, prazer de condução e paisagens de cortar a respiração são outros pontos na ‘agenda’ do evento mototurístico (e não competitivo!) que permitirá descobrir alguns dos mais surpreendentes locais do País. Aberto a todas as trails (das BMW R 1200 GS às KTM 1290 Adventure, passando pelas Honda Africa Twin, das mais antigas às atuais CRF 1000, ou Yamaha Ténéré de todas as cilindradas e anos de produção, até às Yamaha XT, Honda XL, XR ou Dominator, Kawasaki KLR ou KDX, Suzuki DR, etc) está também aberto às cada vez mais bem artilhadas Vespa e outras scooters devidamente preparadas. Descoberta do Portugal mais profundo, surpreendente e desconhecido, para os adeptos da condução em fora de estrada, que poderão ter a vida facilitada com serviços de transporte de motos para o local de partida e no regresso a casa, a cargo da empresa ToursR’us (nunoleotte@toursrus.pt ) bem como na marcação de alojamento a preços competitivos através da agência Abreu Viagens (967 235 933 ou turismoativo@abreu.pt )

Fonte: O Gabinete de Imprensa Portugal de Lés-a-Lés/Parceria Notícias do Pedal



 

“Outsystems Olímpico de Oeiras e Alhandra Sporting Club vencedores do Triatlo de Oeiras 2017”

Este Domingo, 16 de julho, realizou-se o mais carismático e participativo evento de triatlo do calendário competitivo nacional. Naquela que foi a sua 30ª edição, o Triatlo de Oeiras juntou mais de 900 atletas entre a Taça de Portugal de Triatlo, na distância sprint, e uma prova de promoção na distância super-sprint. Num dia de excelentes condições para a prática da modalidade, o evento, organizado pela Câmara Municipal de Oeiras e pela Federação de Triatlo de Portugal, ficou marcado pela vitória individual de Andreia Ferrum e Tiago Fonseca, ambos do clube Outsystems Olímpico de Oeiras.

Os triatletas que disputaram a Taça de Portugal partiram da Praia da Torre para um percurso de 750 metros de natação, seguindo depois ao longo da Marginal para 20 km de ciclismo e 5 km de corrida. No sector feminino, Helena Carvalho do Sporting Clube de Portugal assumiu cedo a liderança da prova, procurando aumentar a vantagem no ciclismo para as suas mais diretas adversárias. Foi só no segmento de corrida que acabou por perder a liderança para Andreia Ferrum. O pódio ficou completo com Liliana Alexandre, também do Sporting Clube de Portugal.

O sector masculino, que partiu dez minutos depois das triatletas, ficou marcado pela grande competividade sentida entre clubes. À saída da água formou-se um pequeno grupo de quinze atletas que, aproveitando um percurso de ciclismo muito rápido, conseguiu sedimentar a diferença, trazendo para a corrida a discussão da prova. Foi neste segmento que o triatleta júnior Tiago Fonseca, do Outsystems Olímpico de Oeiras, superou todos os seus adversários e alcançou o lugar mais alto do pódio. João Francisco Ferreira, do Estoril Praia Fisiogaspar, e Gil Maia, do BH Porto Triatlo, alcançaram o segundo e terceiro lugar, respetivamente.

Em termos coletivos da Taça de Portugal de Triatlo, a vitória coube ao Outsystems Olímpico de Oeiras em femininos e ao Alhandra Sporting Club nos masculinos.

Depois da disputa pela Taça de Portugal foi a vez da prova de promoção para quem procura uma experiência na modalidade, num formato mais acessível. A Prova Aberta foi disputada num total de 300 metros de natação, 10km de ciclismo e 2,5km de corrida e foi vencida por Bárbara Avelino, do Alhandra Sporting Club, e João Pedro Correia, do Sport Lisboa e Benfica.

As estafetas, com um número recorde de 31 equipas, foi vencida por “Os 3 Rafeiros”.

Oeiras, a festejar a 20º edição desta prova de triatlo, foi mais uma vez palco de um grande evento da modalidade que reuniu atletas, clubes e espectadores para uma manhã de competição e convívio.

Fonte: FTP

“Haimar Zubeldia anuncia retirada”

Ciclista de 40 anos abandona depois de 29 de julho

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista espanhol Haimar Zubeldia (Trek Segafredo), de 40 anos, anunciou esta segunda-feira a retirada do desporto depois de 29 de julho, altura em que vai correr a Clássica de San Sebastián.

Atualmente a correr o Tour como um dos escudeiros do compatriota Alberto Contador, sendo 44.º à geral, Zubeldia revelou a decisão no segundo e último dia de descanso da prova, depois de se ter "tornado claro" que chegou a hora de se retirar.

"Depois de tantos quilómetros e de 20 anos de profissional, decidi retirar-me do ciclismo depois da Clássica de San Sebastián", revelou o trepador.

O basco cumpriu 20 anos no pelotão internacional, tendo corrido 16 voltas a França (a uma do recorde de participações), 12 voltas a Espanha e um Giro de Itália.

O ciclista lembrou ter corrido ao lado de "grandes líderes, campeões, como Jan Ullrich, Lance Armstrong, Ivan Basso, Fabian Cancellara e Joseba Beloki", para agora se despedir "a partilhar o pelotão com Chris Froome e Alberto Contador".

"O ciclismo deu-me tudo. Vou satisfeito, realizado e cheio de felicidade. Não posso dar mais", assinalou Zubeldia, que mencionou as passagens pela Astana e os "anos mágicos" na Euskaltel, além da atual equipa, bem como "aquelas subidas nos Pirenéus e no Tourmalet".

Zubeldia deixou ainda a garantia que pretende continuar "ligado ao mundo da bicicleta", ainda que não tenha esclarecido em que funções.

Foi na grand boucle que o espanhol conseguiu os melhores resultados, com o quarto posto de 2007 como o melhor de cinco top 10, tendo ainda sido 10.º na Vuelta de 2000.

Em 2007, conseguiu ainda um oitavo lugar na geral do Grande Prémio Internacional Paredes Rota dos Móveis, participando, em 2013, na Volta ao Algarve.

Ao fim de 20 anos de ciclismo profissional, escolheu a Clássica de San Sebastián, que atravessa a sua terra natal, Guipúzcoa, para encerrar o percurso no World Tour.

Fonte: Record on-line

“Chris Froome: «Não vou oferecer um único segundo»”

Ciclista britânico mostra-se confiante para a última semana do Tour

Por: Lusa

Foto: Reuters

Em dia de 'descanso' na Volta a França, o britânico Chris Froome (Sky), atual camisola amarela do Tour, afirmou esta segunda-feira que não pensa "oferecer um único segundo", à entrada para a semana decisiva da prova.

"Não vou oferecer um único segundo, porque, tal como tive um mau dia nos Pirenéus, também posso vir ter um mau dia nos Alpes. Sinto-me melhor à medida que a corrida avança. Mesmo na última etapa, senti-me muito bem, e com sorte. Espero que nesta terceira semana me encontre no meu melhor momento", adiantou o chefe-de-fila da Sky, de 32 anos, que está com 18 segundos de vantagem sobre o segundo classificado, o italiano Fabio Aru (Astana).

Froome lembrou o incidente do passado domingo, no decorrer da 15.ª etapa, quando teve uma avaria na roda traseira, numa altura em que a AG2R-La Mondiale de Romain Bardet estava ao ataque, e que podia ter comprometido a camisola amarela, tendo realçado a ajuda dos companheiros, que lhe "salvou o dia".

Ao segundo dia de descanso, Chris Froome terá que ter em atenção não só Fabio Aru, mas também o francês Romain Bardet (AG2R La Mondiale), que está a 23 segundos do britânico, e o colombiano Rigoberto Urán (Cannondale Drapac), que segue a 29 segundos.

Fonte: Record on-line

“Bardet: «Estou a aguardar com paciência um bom momento para atacar»”

Ciclista francês Diz que não se sente pressionado

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista francês Romain Bardet, que ocupa o 3.º lugar no Tour - está a apenas 23 segundos do líder Chris Froome -, garantiu esta segunda-feira que não se sente pressionado na Volta a França, mas que se preparou para vencer e que aguarda "um bom momento para atacar".

"Até agora não tenho dado 100%, estou a aguardar com paciência um bom momento para atacar. Espero que chegue. Tenho confiança, porque já lutei pelo triunfo no ano passado", afirmou o chefe de fila da AG2R.

Bardet sublinhou que o tour se "ganha com paciência, com a capacidade de não desistir" e que o importante é "manter a calma" e tentar impor o seu "estilo nos momentos chaves".

O francês tem o colombiano Rigoberto Urán apenas quatro segundos atrás de si, mas indicou que sente que tem as mesmas oportunidades que os restantes adversários de vencer a corrida.

"A equipa está num excelente momento. Porque não aproveitar o que falta com um sorriso, sem se deixar invadir pelo stress?", realçou Romain Bardet.

O ciclista explicou ainda que não acredita que se forme uma frente comum contra o atual líder Chris Froome, "porque ninguém toma a iniciativa" e porque o britânico "tem uma grande equipa, que é difícil destabilizar".

"Essa é a força da Sky, que tem três ou quatro líderes em torno de Froome. Isso desanima muita gente. Obriga-nos a explorar os mais mínimos momentos de debilidade", concluiu Bardet.

Fonte: Record on-line

“Contador: «Sem as quedas, estaria agora a lutar pela amarela»”

Espanhol mostra-se motivado para vencer uma etapa

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista espanhol Alberto Contador, da Trek, disse esta segunda-feira que, se não tivesse sofrido quedas, poderia estar "a lutar pela camisola amarela" e mostrou-se motivado para alcançar um triunfo numa etapa da Volta a França.

"As quedas levam-te, psicologicamente, ao limite. Eu não acredito no destino de má ou boa sorte, mas há vezes em que duvidas. (...) Sem as quedas, acredito que agora estaria a lutar pela camisola amarela", sublinhou Contador, no segundo dia de descanso do Tour.

O atleta mostrou-se motivado para alcançar uma vitória de etapa, contudo, afirmou estar realista e querer, sobretudo, "desfrutar da bicicleta".

"Se colocas limites, tu estagnas. O meu objetivo não é o pódio, mas cuidado, porque podem acontecer muitas coisas", afirmou.

Antes da semana decisiva nos Alpes, Contador salientou que "será mais decisiva a etapa de Galibier do que a de Izoard", uma vez que o "Galibier pode excluir opções do pódio e até da vitória".

Relativamente à declaração de Mikel Landa, da Sky, em que assegurou que não voltaria a ser segundo em nenhuma equipa, Alberto Contador expôs o seu ponto de vista.

"Em qualquer aspeto da vida tens que tomar decisões e, neste caso, deves decidir aquilo que te oferece mais oportunidades. [Mikel Landa] já viveu a experiência na Astana e agora volta a acontecer. Tens de decidir pelos teus interesses e pela confiança que tens em ti mesmo", concluiu o espanhol.

Fonte: Record on-line

“Rigoberto Urán: «Todos temos as mesmas possibilidades»”

Está a 29 segundos de Chris Froome

Por: Lusa

Foto: EPA

O colombiano Rigoberto Urán (Cannondale Drapac), em quarto no lugar na Volta a França em bicicleta, disse esta segunda-feira não sentir ter menos possibilidades do que os restantes candidatos de ganhar o Tour.

"Todos temos as mesmas possibilidades", afirmou o ciclista, que está a 29 segundos do camisola amarela, o britânico Chris Froome (Sky).

Urán, duas vezes segundo classificado no Giro de Itália, considerou que na Volta a França está tudo em aberto e que, tendo em conta as etapas alpinas e o contrarrelógio, em Marselha, existe terreno para marcar a diferença, apesar das dificuldades que estas vão apresentar.

"O crono de Marselha é curto, mas também se marcarão diferenças (...) Tenho estado bem nos cronos, ganhei alguns e defendo-me bem. Com a forma que tenho espero fazer um bom contrarrelógio no sábado", disse o colombiano, de 30 anos, que precisa de ganhar pelo menos um minuto sobre Froome no crono para almejar sair vitorioso no final da prova.

Apesar de acreditar num resultado positivo nas próximas etapas, Urán, em dia de descanso, elogiou os adversários e acrescentou ainda que "não se pode confiar muito", uma vez que o importante é "manter o foco".

O líder da Cannondale afirmou que, independentemente do final da competição, o Tour não será para si um fracasso, uma vez que venceu a nona etapa da Volta a França, em Nantua-Chambéry.

Fonte: record on-line

“Mikel Landa: «Não quero voltar a ser segundo em nenhuma equipa»”

Espanhol diz que ainda é muito cedo para decidir o futuro

Foto: Reuters

Mikel Landa, da Sky, disse hoje que não voltará "a ser o segundo" em nenhuma equipa, contudo, afirmou que Chris Froome é superior e que poderá contar com ele para vencer a Volta à França.

"Tenho claro que isto não pode voltar a acontecer. (...) Não quero voltar a ir em segundo, e se vou é porque quero", declarou o ciclista espanhol antes do treino, no dia de descanso do Tour.

Mikel Landa assumiu que Froome o venceria sempre nesta Volta a França, porque tem um contrarrelógio que o favorece no penúltimo dia e que os dois são "companheiros, não rivais".

"Seria bonito [para a Sky] vencer com Froome e ter-me no pódio de Paris. Portanto, estamos contentes e tenho a mesma sensação que na primeira semana. Há um bom grupo de pessoas e bom ambiente", considerou o ciclista.

O atleta, de 27 anos, admitiu que o seu objetivo mínimo para a corrida francesa é alcançar o pódio, caso isso não prejudique Froome, e que, na sua ótica, "pode ser uma peça fundamental para contolar os rivais".

Relativamente às equipas adversárias, Mikel Landa afirmou que a "AG2R é a equipa mais forte, que causa mais danos" e que, a nível individual, "o mais forte é [Romain] Bardet, que tem um grande grupo".

Landa falou ainda sobre o seu futuro e indicou que "é muito cedo para decidir", porque na Volta à França "há pouco tempo para pensar nessas coisas".

Fonte: Record on-line

“Nairo Quintana perde a luta pelo pódio”

Colombiano já está a mais de seis minutos de Chris Froome

Foto: Reuters

É para esquecer. A Movistar, que à partida seria a equipa com maiores hipóteses de fazer frente à Sky, falhou redondamente nesta 104ª edição do Tour. O colombiano Nairo Quintana, líder do bloco espanhol, demonstrara dificuldades em etapas anteriores, mas na deste domingo claudicou, perdendo mais de 4 minutos para os seus principais rivais, ao cruzar a meta em 46º lugar, a 10.19 minutos de Bauke Mollema.

Como consequência, o vice-campeão do Giro saiu do top 10 da geral (é 11º, a 6.16 minutos de Chris Froome) e perdeu quaisquer hipóteses de subir ao pódio: "Foi uma etapa muito dura e não consegui recuperar. Tive de ficar para trás. Vou encarar cada dia como uma luta, sem nos rendermos. Apesar de ser a cabeça a mandar, quando as pernas não respondem, não há nada a fazer", considerou o detentor de três pódios no Tour, com os dois 2ºs lugares em 2013 e 2015, e o 3º em 2016.

A desgraça de Quintana e da Movistar começaram a desenhar-se ao km 7 do contrarrelógio inicial, quando Alejandro Valverde caiu e teve de abandonar. Mas a condição física dos outros ciclistas também deixou muito a desejar. Quintana chegou cansado do Giro, Herrada também caiu e ficou debilitado fisicamente, Castroviejo tem uma costela fraturada. Bentancur tem sido dos mais combativos, mas sem atingir a necessária regularidade para um Tour.

Fonte: Record on-line

“Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores”

Equipa Portugal luta por bons resultados e trabalha o futuro da pista

Por: José Carlos Gomes

A Equipa Portugal participa no Campeonato da Europa de Pista para sub-23 e juniores com um duplo objetivo: lutar pelos melhores resultados imediatos e preparar o futuro. É com este espírito que onze corredores vão representar as cores portuguesas na competição que se realiza, entre amanhã e domingo, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia.

A boa novidade desta segunda-feira é a luz verde dada à participação de Ivo Oliveira, cuja presença esteve em dúvida, devido à dupla fratura do braço direito, contraída, no dia 14 de junho, no Giro para sub-23.

Ivo Oliveira integra, assim, o lote de onze corredores convocados pelo selecionador nacional de pista, Gabriel Mendes. Cinco dos selecionados são sub-23, César Martingil (Liberty Seguros/Carglass), Miguel do Rego (Team Peltrax-CS Dammarie-lès-Lys), Ivo Oliveira e Rui Oliveira (Axeon Hagens Berman) e Soraia Silva (Bairrada), e seis são juniores, Francisco Duarte e Wilson Esperança (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense), Francisco Moreira (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact), João Dinis (RP-Boavista), José Sousa (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) e Maria Martins (Bairrada).

Gabriel Mendes divide os objetivos para o Campeonato da Europa em função da experiência anterior dos corredores que tem à disposição. “Como é natural, os objetivos são mais ambiciosos para os atletas com experiência, como os gémeos Oliveira e o César Martingil, em sub-23, e a Maria Martins e o João Dinis, em juniores. Neste caso, um lugar no primeiro terço da classificação será um desempenho muito bom, e um lugar no segundo terço será bom”, indica o selecionador.

A realização do Europeu em Portugal permite, com despesas controladas, lançar jovens com potencial para a pista, dando-lhes a oportunidade de evoluir ao mais alto nível. “Tanto o Miguel do Rego como os juniores que se estreiam estão neste patamar evolutivo. Pretende-se que adquiram experiência e consigam desenvolver-se ao nível técnico e tático. A Soraia Silva já correu em juniores, mas irá estrear-se em sub-23. O grau de exigência é muito mais alto, pelo que tentar rodar na volta da vencedora é uma meta realista para este ano, pensando já no futuro”, antecipa o selecionador nacional.

Toda a participação dos sub-23 será feita com o foco mais adiante. “Vamos trabalhar no sentido de pontuarmos o mais possível em cada prova, tendo em mente a qualificação para a Taça do Mundo 2017/2018”, conta Gabriel Mendes. Este objetivo é fundamental no ciclo de apuramento para os Jogos Olímpicos de Tóquio, nos quais Portugal pretende participar pela primeira vez na vertente de pista.

Portugal terá seis representantes em pista já nesta terça-feira, dia de arranque do Campeonato da Europa. Durante a manhã, Miguel do Rego e Ivo Oliveira participam em perseguição individual, cujo concurso deverá iniciar-se cerca das 10h50. No setor vespertino, Soraia Silva e Rui Oliveira competem nas provas de eliminação para sub-23, enquanto Maria Martins e Francisco Duarte alinham por Portugal nas corridas de scratch para juniores. Ivo Oliveira e Miguel do Rego podem também correr à tarde, caso fiquem entre os quatro mais bem colocados na qualificação matinal de perseguição.

Nesta primeira jornada Portugal tem duas medalhas a defender face à edição transata do Europeu. Em 2016 Ivo Oliveira sagrou-se vice-campeão europeu sub-23 de perseguição individual e Maria Martins foi vice-campeã júnior de scratch.

“É uma sensação muito boa voltar a representar o meu país numa competição europeia, ainda para mais ‘jogando em casa’. Depois do grande feito do ano passado, pretendo dar o meu melhor para dignificar a camisola que visto”, diz a corredora, que prefere não se comprometer com resultados. “O principal objetivo é superar-me, desfrutando do ambiente e, principalmente, levar comigo as melhores bases para o futuro", sublinha Maria Martins.

“Uma semana após a queda comecei o meu trabalho nos rolos, embora com limitações. Tenho aumentado progressivamente a carga dos treinos, sinto-me com vontade de correr mas só o corpo o dirá”, confessa, por sua vez, Ivo Oliveira, cuja recuperação já é uma vitória, motivo pelo qual os resultados são uma incógnita. “Não consigo pensar nisso, visto que a minha preparação é completamente diferente dos outros anos, mas darei o meu melhor, como sempre faço”, promete.

Estão inscritos 383 corredores, oriundos de 25 países, para a disputa de 44 títulos europeus de sub-23 e de juniores. Esta é a quinta vez que a Federação Portuguesa de Ciclismo, em parceria com a Câmara Municipal de Anadia, organiza o Campeonato da Europa.

Todos os filiados na Federação Portuguesa de Ciclismo e todos os residentes no concelho de Anadia têm entrada gratuita no Velódromo para assistir às competições. O público em geral paga 10 euros por cada bilhete diário. Todas as finais e algumas provas de qualificação serão transmitidas em direto na Internet, podendo ser vistas na página da Federação Portuguesa de Ciclismo na Internet (fpciclismo.pt), no sítio oficial do Campeonato da Europa (eurotrack2017.pt) e no canal da Federação no Youtube (youtube.com/fedportciclismo). No primeiro dia, será transmitida a prova de perseguição individual para sub-23 (a partir das 10h50, sensivelmente), assim como todo o programa da tarde, a partir das 16h30.

Informação geral sobre o Europeu de Pista: http://www.fpciclismo.pt/modalidade_noticia_ver.php?id_noticia_new=4971&pag=1&id_modalidade_new=6

Calendário dos Portugueses *

18 de de julho

10h50: Perseguição Individual Sub-23 - Ivo Oliveira e Miguel do Rego

17h00: Eliminação Sub-23 Femininas - Soraia Silva

17h30: Eliminação Sub-23 Masculinos - Rui Oliveira

18h10: Final de Perseguição Individual Sub-23 (em caso de apuramento) – Ivo Oliveira e Miguel do Rego

18h20: Scratch Juniores Femininas - Maria Martins

18h40: Scratch Juniores Masculinos - Francisco Duarte

19 de julho

15h50: 1 km contrarrelógio Juniores Masculinos - Francisco Duarte e Wilson Esperança

18h30: Scratch Sub-23 Femininas - Soraia Silva

18h45: Scratch Sub-23 Masculinos - César Martingil

19h15: Eliminação Juniores Femininas - Maria Martins

19h35: Eliminação Juniores Masculinos - João Dinis

20 de julho

10h20: Perseguição Individual Juniores Masculinos - Francisco Moreira e Wilson Esperança

17h50: 1 km contrarrelógio Sub-23 Masculinos - Rui Oliveira e Miguel do Rego

21 de julho

10h00/10h55/15h30/19h30: Omnium Juniores Femininas - Maria Martins

10h15/11h20/15h45/20h00: Omnium Juniores Masculinos - João Dinis

17h00: Corrida por Pontos Sub-23 Femininas - Soraia Silva

17h40: Corrida por Pontos Sub-23 Masculinos - Miguel do Rego

22 de julho

9h30/10h30/16h00/19h30: Omnium Sub-23 Femininas - Soraia Silva

9h50/10h45/16h20/20h00: Omnium Sub-23 Masculinos - Rui Oliveira

17h10: Corrida por Pontos Juniores Femininas - Maria Martins

17h50: Corrida por Pontos Juniores Masculinos - José Sousa

23 de julho

15h30: Madison Sub-23 Masculinos - Rui Oliveira e Miguel do Rego

*Informação sujeita a ajustes diários~

Fonte: FPC

“Campeonato Nacional de Enduro”

José Borges festeja título de Enduro em Murça

Terceiro título nacional consecutivo na Elite para José Borges (Enduro BTT Braga). Campeonato Nacional de Enduro atribuiu títulos a oito categorias

José Borges voltou a revelar a invencibilidade que o acompanhou em Miranda do Corvo e em Manteigas e, em Murça, sagrou-se tricampeão nacional de Enduro na categoria de Elites. Dominador nas cinco provas especiais cronometradas, Borges avantajou-se na classificação final em 30 segundos ao madeirense Emanuel Pombo (Ciclo Madeira Clube Desportivo), vice-campeão nacional. José Oliveira, igualmente, do Enduro BTT Braga, foi terceiro classificado, gastando mais um 1m14s do que os rivais para cumprir as 'PEC's".

A disputa do campeonato nacional de Enduro, num percurso de 35 km, com provas especiais cronometradas entre os 1400 metros e os 3500 metros foi assinalada pelo intenso calor que se fez sentir naquela região transmontana e que foi desgastando os atletas repartidos entre as oito categorias de competição federativa e a categoria de promoção.  A dada altura, toda a caravana da prova esteve retida devido a um incêndio de grandes proporções que lavrava na região.

Para José Borges, a conquista do terceiro título nacional consecutivo na Elite reflete a competitividade da sua época desportiva, na qual se destaca a conquista das duas primeiras provas da Taça de Portugal de Enduro 2017.

Na categoria femininas maiores de 17 anos, Ana Costa (Casa do Povo de Abrunheira) revelou-se e levou a melhor sobre a rival Ana Leite (Enduro BTT Braga), atual líder da Taça de Portugal da categoria, para se sagrar campeã nacional. O terceiro posto foi para Leandra Gomes (Batotas/Ponte de Lima).

O escalão júnior foi dominado por Tiago Ladeira (Casa do Povo da Abrunheira) que foi acumulando vantagem sobre o atual líder da Taça de Portugal, Nuno Silvestre (BTT Team SU Colarense), até finalmente sagrar-se campeão nacional, finda a combinatória das PEC's, com 1m03s de vantagem. A luta pelo segundo lugar foi bem mais renhida e Tomás Barreiros (ADAR/Ofimoto) quedou-se a dois segundos do segundo lugar.

Gonçalo Bandeira (Montanha Clube/Louzan Park) foi o mais lesto nos cadetes. Findas as três provas especiais cronometradas, o jovem ciclista de 16 anos antecipou-se em 58 segundos a Rui Tapada (CAJ Raposa) e em 1m03s a Leonardo Lambaz (Município de Porto Moniz), terceiro classificado. Nesta competição assinalou-se a desistência do líder da Taça de Portugal Bernardo Tavares (Maiatos/Reabnorte).

Nos cadetes femininos, Rafael Ramalho (Maiatos/Reabnorte) totalizou 18m17s para festejar o título nacional, menos 2m25s do que a segunda classificada, Beatriz Martins, da mesma equipa. Jéssica Lima (BTT Matosinhos) foi a terceira melhor em prova.

Na competitiva categoria de Master 30, Lino Correia "vingou-se" do segundo lugar conquistado há um ano em Manteigas e, em Murça, sagrou-se campeão nacional. O betetista do Vasconha BTT Vouzela confirmou a excelente época desportiva - é líder da Taça de Portugal da Categoria, com duas vitórias em três provas disputadas - para triunfar diante Hélder Padilha (Montanha Clube/LouzanPark), segundo classificado, com mais 30 segundos cumpridos. Rui Couto (Vasconha BTT Vouzela) foi terceiro, a 38 segundos do melhor registo.

Nos Masters 40, Vasco Correia (Penacova DH/UD Lorvanense) sagrou-se campeão nacional, por uma das margens mais escassas das competições em Murça: apenas seis segundos o separaram de Jorge Rodrigues. David Guerra (Rodinhas/Santos Silva) fechou o pódio do escalão.

Tal como nas restantes categorias de Masters, nas quais os líderes da Taça de Portugal de Enduro 2017 confirmaram as respetivas supremacias com a conquista do título nacional, também José Salgueiro (MCF/Xdream/Município de S.Brás) conseguiu a acumular a liderança do troféu da UVP-FPC com a camisola de campeão nacional. Paulo Sousa (Ciclo Madeira Clube Desportivo) foi segundo classificado, a 1m35s. Manuel Ribeiro (Enduro BTT Braga) repetiu o alinhamento vigente da Taça de Portugal e quedou-se na terceira posição.

A categoria Promoção, apesar de aberta a atletas estrangeiros, foi conquistada por Bruno Diogo (Team Scott Portugal).

Por último, na classificação por equipas, a Casa do Povo de Abrunheira sagrou-se vencedora, diante do Enduro BTT Braga e dos Maiatos/Reabnorte.

Fonte: FPC

“Campeonato Ibérico de ciclismo de estrada”

Títulos Ibéricos foram atribuídos em Almodôvar

Campeões Ibéricos de ciclismo Amador e Master foram conhecidos após diversas provas disputadas, com diferentes quilometragens, naquela vila do Baixo Alentejo

Um dos principais redutos do ciclismo amador de competição de Portugal, o concelho de Almodôvar sucedeu à localidade espanhola de Cazorla, na província de Jaén, Andaluzia, na disputa do Campeonato Ibérico de Ciclismo de estrada, tendo sido conhecidos oito novos campeões ibéricos nas categorias em liça: Elites Amadores, Master 30, Master 35, Master 40, Master 45, Master 50, Master 55 e Master 60.

Nos Elites amadores, o novo campeão ibérico foi Valdemar Teixeira (Extremosul / Clinica de Pêra) consagrado diante de Dominic Mestre (Chão das Donas/Burger Ranch) e David Belo (Extremosul / Clinica de Pêra), segundo e terceiro classificados.

Nos Master 30, Gonçalo Brito (Chão das Donas /burguer ranch) levou a melhor, ao sprint, diante de Gonçalo Sousa (C.P.R. A-do-Barbas) e Leandro Coelho (Novabicineves / Azeméis é vida - ECBN).

João Mariano (Marques & Pereira/Garbike/Os Beirões) sagrou-se campeão ibérico de Master 35, impondo-se defronte de Hélder Pereira (Ronda-Restaurante Grelha) e Nuno Manso (ASFIC/Grupo Parapedra).

A corrida das categorias de Elites Amadores, Master 30 e Master 35 decorreu pela tarde com uma quilometragem de 116 km. De manhã, com temperaturas mais convidativas a esforços, o programa de competições contemplou a atribuição de títulos em cinco categorias.

O primeiro título ibérico conquistado por um corredor espanhol deu-se na corrida de Masters 40, com 116 km, a mesma distância cursada pelos Master 45. Jose Benitez (CC Sirocco Bike) dominou a categoria, impondo-se com 58 segundos de avanço sobre Rui Rodrigues (ASFIC/Grupo Parapedra) e João Coelho (Casa Benfica Almodôvar / Swick Drilling), respetivamente segundo e terceiro classificados.

Nos Master 45, Antonio Moleon (CC Sirocco Bike) deu continuidade aos triunfos espanhóis, impondo-se sobre o compatriota Jorge Plata (CC Semar), cabendo a Humberto Silva (Peçamodovar / G.F.Pinto / C.D.Almodôvar) o terceiro lugar do pódio.

Vitor Lourenço (Viveiros Vitor Lourenço/ Sintra C. Ciclismo) foi o mais rápido dos Masters 50 a cumprir os 80,3 quilómetros do percurso, avantajando-se em quatro segundos a José Afonso (Novabicineves / Azeméis é vida - ECBN) e a Luís Gomes (Casa Benfica Almodôvar / Swick Drilling), terceiro classificado, a 14 segundos.

Na categoria de Master 55, João Pinto (Boavista/Servigás/Duobike/Nast) chegou à vitória depois de um apertado despique com Francisco Romão (UCA - União Ciclismo do Alentejo). O espanhol Francisco Sanchez (Ameral) ficou-se pela terceira posição.

Por fim, nos Master 60, Joaquim Barreiros (UCA - União Ciclismo do Alentejo) foi o vencedor, antecipando-se, na linha de chegada, e, 45 segundos ao próximo adversário, Benjamim Silva (Irmandade Bike Team). Manuel Domingos (Casa Benfica Almodôvar / Swick Drilling) foi o terceiro classificado da corrida com a faixa etária mais elevada.

Fonte: FPC

“Entramos na contagem decrescente…”

“14 Horas a Pedalar em Pombal”

Texto: José Morais/Clube Cicloturismo Pombal

Cartazes: Notícias do Pedal/Clube Cicloturismo Pombal


Este, será o logotipo que irá abrir no próximo fim-de-semana em Pombal, as nossas emissões em direto, pela primeira vez, vamos estar em direto no YouTube e no Facebook, com a edição de 2017 das “14 Horas a Pedalar”, este ano sobe o lema “Pedalar Para Ajudar”.

Iremos abrir a emissão com a apresentação de mais uma edição das “14 Horas”, uma entrevista a Carlos Vieira, o ciclista bombeiro, que nos irá contar alguns dos seus feitos, ele que detém um imenso palmares, um deles que ainda detém, o Record Mundial de Resistência em Bicicleta (Guinness Book of Records) 191 horas "Non Stop" no antigo Estádio Dr. Magalhães Pessoa em Leiria - Portugal, de 08 a 16 de Junho de 1983, e muitas outras notícias e acontecimentos, estejam atentos a partir das 20 horas do próximo sábado dia 22.

Aqui fica o programa:

Com organização do Clube de Cicloturismo de Pombal, realiza-se nos próximos dias 22 e 23 de julho, mais uma edição da “14 Horas a Pedalar”, a Festa das Bicicletas e dos Ciclistas, este ano sobe o lema, “PEDALAR PARA AJUDAR”, a receita líquida do evento vai ser doada às vítimas dos incêndios.

 O evento será realizado no circuito de 400 metros, terá início às 22 horas de sábado, e terminará às 12 horas de domingo, sempre com os ciclistas a pedalarem, ainda com dois passeios pela cidade, um noturno no sábado no início do evento, o outro no domingo no final do mesmo.

Vão existir muitas surpresas, animação, e vontade de pedalar, para participar basta possuir uma bicicleta, e pede-se ainda que seja original, já que existem surpresas para as bicicletas mais originais.

Venha participar, neste evento único em Portugal, nós vamos lá estar com reportagem total do evento, e alguns diretos, para informações e inscrições podem ser feitas para clube através do e-mail cicloturismopombal@gmail.com  ou pelo telemóvel 968130525.

Aqui fica o programa do evento, seguido do regulamento, participe e seja solidário…

PROGRAMA

 

- SÁBADO

20:00 - Concentração e confirmação das inscrições

22:00 - Início das 14HP

22:10 - Apresentação à Cidade das 14HP (Desfile do pelotão pelas principais ruas)

22:15 – Ginástica Acrobática ACROPombal

23:00 - Regresso ao Circuito

- DOMINGO

02:00 - Caldo Verde em Tigelas 14HP2017

08:00 - FullProtein – Derovo

09:00 - Hora da Pasteleira (concurso)

10:30 - Passeio Domingueiro (pela Cidade)

11:30 - Sorteio 14HP2017

12:00 - Fim das 14HP

12:05 - Entrega de Prémios e Lembranças

 

REGULAMENTO GERAL

1.         O evento denominado 14 HORAS A PEDALAR, poderá ser identificado pela sigla 14HP, sendo organizado pelo Clube de Cicloturismo de Pombal.

2.         Especialmente para as 14HP, o Clube de Cicloturismo de Pombal criou um logótipo que não pode ser copiado ou usado por terceiros sem autorização do autor.

3.         O evento 14HP é uma Festa das Bicicletas e dos Ciclistas, isento de competição e classificações, tendo como objetivo homenagear as bicicletas num ambiente de festa e de amizade entre todos aqueles que as utilizam. No entanto, todos os participantes devem-se submeter ao presente regulamento.

4.         Sob o lema “PEDALAR PARA AJUDAR”, a receita líquida do evento vai ser doada às vítimas dos incêndios.

5.         O evento está agendado para os dias 22 e 23 de Julho de 2017, entre as 22H00 de Sábado e as 12H00 de Domingo. Inicia-se na Avenida Heróis do Ultramar, à Rotunda em Homenagem ao Bombeiro, com destino à cidade (Apresentação das 14HP à Cidade), percorrendo os principais arruamentos. A partir das 23H00, decorre em circuito fechado, com um perímetro de 400 metros, na Av. Heróis do Ultramar, entre a Rua dos Bombeiros Voluntários e o Viaduto sob a Alameda Europa, na cidade de Pombal, até de manhã. Às 10H00, tem início o Passeio Matinal pelo centro e a periferia da cidade, regressando o pelotão ao circuito para as voltas finais e encerramento do evento.

6.         Podem participar todos os Ciclistas, organizados em equipas com um mínimo de 12 elementos, entre os 14 e os 75 anos de idade.

7.         Não é permitido no evento ciclistas individuais e ou equipas não inscritas.

8.         Todos os ciclistas devem usar no pulso as pulseiras de controlo distribuídas pela organização.

9.         As inscrições, limitadas a 20 equipas, salvo casos excecionais, terminam na quarta-feira, dia 19 de julho, data limite para as equipas entregarem a Ficha de Inscrição devidamente preenchida e o respetivo donativo.

10.      O donativo corresponde a 2,5€ por pessoa inscrita acrescido de 25€ por equipa.

11.      Os interessados podem contactar o clube através do e-mail cicloturismopombal@gmail.com ou pelo telemóvel 968130525.

12.      Os Ciclistas e as Equipas têm direito a lembranças de presença. Os prémios especiais são sujeitos a regulamento próprio (ver verso).

13.      Qualquer alteração às inscrições decorre entre as 19H00 e as 20H00, do dia 22 – Sábado, no próprio recinto, nos termos do programa previamente elaborado para o efeito.

14.      Às 22H00, em ponto, serão iniciadas as 14HP, com a presença obrigatória no circuito de todas as equipas e todos os ciclistas inscritos, até ao fim desta primeira hora.

15.      Entre as 23H00 (Sábado) e as 10H00 (Domingo), é obrigatória a participação no circuito de todas as equipas com um mínimo de 3 ciclistas.

16.      Entre as 10H00 e as 12H00 – Domingo, é obrigatória a participação de todas as equipas e de todos os ciclistas inscritos.

17.      Às 12H00, terminam as 14HP, seguindo-se de imediato a entrega de lembranças e dos prémios.

18.      Os ciclistas poderão utilizar todo o tipo de bicicletas, sem motor auxiliar, sendo obrigatório o uso de capacete de proteção aprovado e recomendada a utilização de sistema de iluminação e material refletor.

19.      São proibidas bicicletas com atrelado e cadeiras assim como o transporte de crianças.

20.      Entre as 00H00 e as 08H00, é proibida a utilização de campainhas ou outros sinais sonoros. Também, os participantes devem respeitar a Lei Geral do Ruído e as determinações do Município, da PSP e da Organização.

21.      Os ciclistas devem apresentar-se em perfeitas condições físicas, não se responsabilizando a organização por qualquer problema de saúde e também com incidentes que eventualmente possam surgir antes, durante e após o evento, que não estejam cobertos pelo seguro temporário de acidentes pessoais a cargo da organização se for o caso.

22.      O não cumprimento voluntário de presente Regulamento e ou algum comportamento antissocial implica o afastamento do (s) ciclista (s) ou da(s) equipa(s), perdendo o direito aos prémios e à inscrição.

23.      Nos termos do número anterior, em caso de expulsão de qualquer (quaisquer) ciclista (s) e ou equipa (s), não é (são) admitida (s) na próxima edição das 14HP.

24.      A organização não se responsabiliza por eventuais inscrições fraudulentas, falsas declarações, participações não declaradas e por todos os atos socialmente reprováveis e ou criminalmente puníveis.

25.      É proibida a exploração de serviço de bar (comes e bebes) pelas equipas ou por terceiros sem autorização da organização.

26.      É proibido a colocação no recinto de telas ou outra forma de publicidade sem autorização da organização.

                                                                                                                                                                         
REGULAMENTO DOS PRÉMIOS ESPECIAIS

 

I - TROFÉU “PASTELEIRA” – SICOCONSTRÓI

1.         O Troféu “Pasteleira” vai ser entregue à equipa que apresentar a concurso a bicicleta MAIS ANTIGA E ORIGINAL.

2.         O concurso vai decorrer no domingo, entre as 09h00 e as 10h00, durante a “Hora da Pasteleira”.

3.         Só são consideradas a concurso as bicicletas usadas pelos ciclistas no evento.


II - TROFÉU MAIS – MUNICÍPIO DE POMBAL

1.         O prémio é destinado à equipa que contar MAIOR NÚMERO DE INSCRIÇÕES.

2.         Em caso de empate ganha a equipa com mais elementos femininos.

3.         Se a igualdade persistir será feito um sorteio.


III - TROFÉU CHARME FEMININO – FLÔR EDEN

1.         O prémio caberá àquela equipa que MAIS ELEMENTOS FEMININOS inscrever.

2.         Em caso de empate ganha a equipa com menos elementos masculinos.


IV - TROFÉU PEDALÁSTICO – CRÉDITO AGRÍCOLA

1.         O troféu está reservado para a equipa que apresentar e utilizar a BICICLETA MAIS CRIATIVA ou ENGRAÇADA.

2.         Para a nomeação do vencedor será constituído um júri composto por um representante da cada equipa.

3.         Se houver empate caberá à Organização escolher o vencedor. 


V – TROFÉU SOLIDÁRIO – PEDALAR PARA AJUDAR

1.         O troféu será destinado à equipa que, até às 11 horas de domingo (uma hora antes do evento acabar) entregar o maior donativo em dinheiro para se juntar à receita líquida a doar às vítimas dos incêndios.