quinta-feira, 20 de abril de 2017

“Novo circuito Triathlon Tour Try Portugal e outras alterações ao quadro competitivo”

A Federação de Triatlo de Portugal estabeleceu uma parceria com a Upstream – Valorização do Interior, Lda. Para dinamização do Circuito Triathlon Tour Try Portugal.

Pretende-se dinamizar um novo modelo competitivo, vocacionado essencialmente para a prática informal e para a fruição da modalidade enquanto forma de conhecimento e usufruto das condições naturais do nosso país, designadamente das zonas do interior.

Com um conjunto de regras muito peculiares, constantes no regulamento do Circuito (consultar aqui), pretende-se rejuvenescer o quadro competitivo nacional e apresentar novas abordagens que vão ao encontro de novos nichos de mercado e que ajudem a dinamizar a modalidade na zona raiana, quer pela dinamização nacional, como do mercado espanhol.

O Circuito Triathlon Tour Try Portugal é constituído por 6 provas, que se realizam entre Maio e Setembro, sendo algumas delas integradas em provas já existentes, enquanto outras são totalmente novas, garantindo todas o mesmo denominador comum: paisagens soberbas e uma montra do melhor que o interior tem para oferecer.

Além da implementação deste novo Circuito, a Federação de Triatlo de Portugal negociou ainda para este ano a realização dos Campeonatos Nacionais Individuais de Duatlo e Triatlo BTT. Este evento terá lugar em Penafiel, nos dias 19 (Duatlo BTT) e 20 (Triatlo BTT) de Agosto, sendo esta a única data que não condicionaria o restante calendário nacional já em vigor, e coincidindo também com a realização da Agrival, um dos principais eventos do município de Penafiel que reúne anualmente centenas de milhares de pessoas nas ruas que aplaudirão a passagem dos atletas e trarão ainda mais cor ao evento.

Com o cancelamento do Triatlo de Vila Nova de Gaia, agendado para o fim-de-semana de 23 e 24 de Setembro, e a possibilidade de realizar em Portugal mais uma Taça da Europa de Triatlo Elites, a FTP estabeleceu parceria com a Associação Regional de Triatlo da Madeira, o Governo Regional da Madeira e o Município do Funchal para aí realizar, no dia 23 de Setembro, a Taça da Europa do Funchal, na distância Sprint. Esta prova é ainda complementada com a realização da Taça de Portugal de Triatlo em falta, no dia 24 de Setembro. Todas as informações sobre esta e todas as competições serão disponibilizadas no separador das provas em tempo oportuno.

Fonte: FTP

“Andriy Grivko suspenso por 45 dias por agressão a Marcel Kittel"

UCI anuncia punição ao ciclista ucraniano devido a incidente ocorrido na Volta ao Dubai, o alemão Marcel Kittel ficou visivelmente maltratado

Por: Lusa

Foto: DR Record

O ciclista ucraniano Andriy Grivko (Astana) foi suspenso por 45 dias pela comissão de disciplina da União Ciclista Internacional (UCI), na sequência da agressão a Marcel Kittel na Volta ao Dubai.
Embora não especifique o porquê da sanção, a cumprir entre 1 de maio e 14 de junho, a UCI esclarece que o castigo se deve a um incidente ocorrido em fevereiro, na Volta ao Dubai.

Grivko, de 33 anos, esmurrou o alemão Marcel Kittel no decurso da terceira etapa da prova, quando ambos tentavam colocar-se no pelotão num momento de ventos cruzados, com o 'sprinter' da Quick-Step Floors a terminar a tirada com o sobrolho ensanguentado.
O ciclista da Astana foi imediatamente excluído da Volta ao Dubai. Em comunicado, a sua equipa considerou o gesto do corredor ucraniano "inaceitável" e apresentou desculpas a Kittel.

Fonte: Record on-line

“Volta aos Alpes: José Mendes foi quinto na 4.ª etapa”

Matteo Montaguti venceu a tirada mas Geraint Thomas mantém a liderança

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O português José Mendes (Bora-Hansgrohe) foi quinto classificado na quarta etapa da Volta aos Alpes, disputada esta quinta-feira. O campeão nacional cortou a meta em Cles com o mesmo tempo (4:56.38 horas) do vencedor, o italiano Matteo Montaguti (AG2R), que bateu ao 'sprint' o francês Thibaut Pinot (FDJ) e o australiano Rohan Dennis (BMC).
Apesar do quinto lugar na tirada, que percorreu 165,3 quilómetros desde Bolzano (Itália), Mendes manteve o 16.º posto da geral, a 1.48 minutos para o líder Geraint Thomas. O britânico da Sky tem o segundo classificado, Thibaut Pinot, a 13 segundos, e o terceiro, o italiano Domenico Pozzovivo (AG2R), a 16.

O ciclista do Sporting-Tavira Rinaldo Nocentini, em representação da seleção de Itália, desceu uma posição na geral, até ao 95.º posto, estando a 57.45 minutos de Thomas, depois de hoje ter chegado num grupo a 15.58 minutos do vencedor.
Na sexta-feira, disputa-se a quinta e última etapa da Volta aos Alpes, uma ligação de 199,6 quilómetros entre as localidades italianas de Smarano e Trento.

Fonte: Record on-line

“Federação vai negociar concessão da Volta a Portugal com a Podium Events”

Atual organizadora da prova vai manter-se no período entre 2018 e 2025

Por: Lusa

Foto: DR Record

A Federação Portuguesa de Ciclismo revelou esta quarta-feira à Lusa que, nas próximas semanas, vai negociar detalhes da concessão dos direitos de exploração da Volta a Portugal entre 2018 e 2025 com a Podium Events, a atual organizadora.
"A Direção da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) analisou a proposta apresentada pela Podium Events, registando com satisfação a abertura da administração da empresa, que aceitou as condições colocadas pela Federação Portuguesa de Ciclismo", sublinhou a entidade, numa posição enviada à Lusa.
A direção da FPC, hoje reunida, especificou ainda que, nas próximas semanas, serão "negociados detalhes da concessão de exploração comercial e, havendo acordo, será assinado o contrato de concessão para o período 2018-2025".
A Podium Events, atual organizadora da prova rainha do calendário velocipédico nacional, foi a única empresa a apresentar uma candidatura para a concessão dos direitos de exploração da Volta a Portugal entre 2018 e 2025.
Na nova lista de encargos para a concessão da organização da Volta a Portugal por um período de oito anos, a FPC apresenta uma cláusula, incluída na "Reserva de Direitos", que permite à entidade "impedir a participação de equipas na Volta a Portugal que não representem os valores do 'novo ciclismo'", ou seja, um ciclismo de "fomento e desenvolvimento, cada vez mais internacional, irrepreensível ao nível da ética desportiva".
O concurso, cuja fase de candidaturas terminou a 31 de março, estipulava que os interessados em adquirir os direitos da prova rainha do calendário nacional terão de pagar, anualmente, 450.000 euros (atualização anual indexada à inflação) à FPC, sendo obrigatória a apresentação de garantia financeira de montante igual a metade do preço anual, e que, para além da Volta a Portugal, terão de organizar a Volta a Portugal do Futuro e outra prova internacional de categoria igual ou superior a 2.2 da União Ciclista Internacional.
Na escolha do organizador, a entidade que tutela o ciclismo nacional explicou que iria privilegiar "um programa desportivo que seja capaz de estimular as equipas internacionais a participarem e ao mesmo tempo defenda os interesses das equipas e dos ciclistas nacionais".
Assim, seriam fatores preferenciais de seleção o enquadramento internacional da Volta numa lógica desportiva do 'novo ciclismo', a defesa do interesse e desenvolvimento do ciclismo nacional das equipas e dos ciclistas nacionais e a postura irrepreensível e colaboradora na luta antidoping, que inclui a imposição junto das equipas nacionais e 'staff' organizativo de regras de exclusão de elementos com postura pública e histórico de permissividade face ao doping e à fraude desportiva.
Considerar a tradição da Volta a Portugal, defender uma lógica de cobertura territorial e promover o 'fair play' e desportivismo são os outros vetores essenciais no novo contrato.

Fonte: Record on-line