segunda-feira, 15 de agosto de 2016

“Mototuristas de todo o Mundo à descoberta do norte de Portugal”

FIM Mototour of Nations 2016 de 8 a 11 de setembro

Ultimam-se pormenores para a 3.ª edição do FIM Mototour of Nations, evento mototurístico que este ano terá organização a cargo do Moto Clube do Porto, com programa dedicado à descoberta de paisagens e sabores, da história e das gentes do norte de Portugal, de 8 a 11 de setembro.

No regresso do MCP às grandes organizações após a responsabilidade do FIM Méritum e do FIM Motocamp, respetivamente em 2003 e 2014, o novo voto de confiança da Comissão de Turismo e Lazer (CTL) da Federação Internacional de Motociclismo reforça o ecletismo e imagem internacional do clube portuense. Afinal foram eventos considerados dos melhores de sempre, bitola de qualidade já antes alcançada na organização de várias provas do Mundial de Trial e no Trial das Nações 2002.

O programa do FIM Mototour of Nations 2016 delineado para caravana limitada a 250 motociclistas, oriundos sobretudo da Europa e América do Norte, começa no dia 8 de setembro (quinta-feira) com a receção e Jantar de Boas-Vindas em Chaves, no elegante Hotel Casino, seguindo-se, na manhã do dia 9, ligação ao Porto, com passagem por Boticas, Vilarinho Seco, Cabeceiras de Basto, com visita ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos, e Guimarães. Após o jantar, na cidade anfitriã, tempo para a descoberta da animação noturna do Porto.

No sábado, partida e chegada ao Porto de viagem que andará junto ao litoral atlântico, com paragem em Esposende, oportunidade ímpar de apreciar a extrema variedade paisagística depois da passagem na véspera pela serranias de Barroso e Basto. Nova paragem em local emblemático de Vila Nova de Gaia, na Serra do Pilar, com direito a desfrutar de uma das mais bonitas vistas sobre do Porto e da visita ao Mosteiro da Serra do Pilar. Para terminar o dia não podia faltar especialíssimo aperitivo nas Caves de Vinho do Porto, antes do Jantar de Gala em local emeblemático da cidade.

Programa delineado ao pormenor para ir de encontro aos desejos das centenas de mototuristas que nos visitam e que, no domingo, poderão desfrutar da incomparável paisagem duriense, com visita à Quinta do Seixo e a Tabuaço antes da despedida de um evento que, acreditamos, deixará saudades em todos os que visitarem o nosso País.

O que é o FIM Mototour of Nations?

Quarto evento anual do Calendário Clássico mototurístico da FIM, surgiu muito recentemente, em 2013, com a edição inaugural em Itália, Áustria e Eslovénia. É um evento de mototurismo puro, rolante, com a caravana – itinerante –  a conhecer a região do clube organizador, tendo como mote elevados padrões de qualidade e conforto na visita aos ex-líbris das regiões atravessadas.

Os outros eventos do calendário FIM são:

- FIM Rally. É uma concentração pura que já vai na 70ª edição. É o mais participado dos eventos mototurísticos da FIM, contando normalmente com mais de 1000 inscritos. Nunca se realizou em Portugal.

- FIM Rendez-Vouz Meritum. Concentração bem mais pequena e personalizada e apenas destinada a quem tem, pelo menos, 5 participações no FIM Rally. Já vai na 33ª edição. Em Portugal realizou-se o de 2003, na Cidade Invicta, com organização cargo do Moto Clube do Porto.

- FIM Motocamp. O 2º maior evento anual deste calendário vai já na 34ª edição. Obriga todos os participantes a acampar e já se realizou duas vezes em Portugal. Há mais de 20 anos, em Cascais, organizado pelo extinto MC Costa do Sol e, em 2014, em Sabrosa, sob responsabilidade do Moto Clube do Porto.

Fonte: Moto Clube do Porto/Parceria Notícias do Pedal

“Taça de Portugal de Elite”

Hugo Sancho vence em casa e Joaquim Silva lidera

Hugo Sancho (LA Alumínios-Antarte) venceu o Grande Prémio de Mortágua, quarta corrida pontuável para a Taça de Portugal de Elite. Joaquim Silva (W52-FC Porto) assumiu o comando da geral.
A correr na terra de onde é natural, Hugo Sancho enfrentou a exigência do percurso e o calor muito forte para triunfar em solitário. Fê-lo ao cabo de 3h38m26s de corrida, a uma média assinalável de 39,554 km/h, tendo em conta a natureza ondulada do traçado.

O pelotão fragmentou-se completamente e o segundo homem a cortar a meta foi Ricardo Vale (Rádio Popular-Boavista), a 1m23s. O terceiro, Luís Mendonça (Sicasal/Constantinos/UDO), gastou mais 1m48s do que o vencedor.

De entre os corredores que partiam em vantagem na geral da Taça, o melhor foi Joaquim Silva. O jovem trepador penafidelense chegou na 13.ª posição e, com esse resultado, assumiu a dianteira da Taça de Portugal.

Joaquim Silva tem 135 pontos e é seguido por dois colegas de equipa, Juan Ignácio Pérez, que soma 130, e o anterior comandante, Daniel Freitas, com 126. O primeiro ciclista de outra equipa e única ameaça séria à hegemonia da W52-FC Porto é Luís Mendonça, embora tenha apenas 109 pontos.


Fonte: FPC

“Efapel/Rafael Silva vence prémio de montanha em Mortágua”

Corredor da EFAPEL esteve na fuga do dia deste Grande Prémio

O pelotão nacional de volta à estrada e a EFAPEL esteve em destaque por intermédio de Rafael Silva que conquistou a camisola da montanha no Grande Prémio de Mortágua. Num dia em que os corredores tiveram de enfrentar o calor habitual da época estival, o ciclista da formação de Ovar entrou na fuga que marcou esta clássica e subiu ao pódio para envergar a camisola relativa ao rei da montanha.

Com três subidas categorizadas, o Grande Prémio de Mortágua perspectivava-se como uma prova selectiva e exigente em que os ciclistas não teriam uma tarefa fácil. Foi com este cenário que os corredores da EFAPEL enfrentaram os 144 quilómetros, percorridos a uma média de 39,5 km/h. Rafael Silva esteve muito activo e conseguiu escapar. Juntamente com os seus companheiros de fuga, conseguiu uma vantagem considerável e foi o primeiro a passar em duas montanhas. Os dez pontos somados foram suficientes para assegurar a vitória neste particular.

Sem estar na luta pela Taça de Portugal, a equipa assumiu que o objectivo era ser protagonista e lutar pelas vitórias. Nesta prova com partida e chegada em Mortágua, conseguiu destacar-se com a vitória normalmente conseguida por trepadores.

Amanhã, a formação continua a competir na região Centro. Desta vez ruma a Águeda para o Grande Prémio Anicolor. A prova começa às 14 horas. São 164,4 quilómetros com cinco metas volantes, três pontos quentes e três prémios de montanha de quarta categoria. O vencedor será conhecido já depois ds 17h30 em Águeda.

Classificação no Grande Prémio de Mortágua

    Hugo Sancho            LA Antarte/Alumínios    3h38m26s

    Ricardo Ferreira        RP/Boavista        a 1m23s

    Luís Mendonça        Sicasal/Constantinos    a 1m48s


15º    Rafael Silva            EFAPEL        a 3m11s

21º    António Barbio        EFAPEL        a 13m48s

41º    Hélder Ferreira        EFAPEL        a 15m47s

57º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 15m53s

Fonte: Efapel

“Efapel/Álvaro Trueba conquista duas camisolas no GP Anicolor”

Rafael Silva termina prova no quarto lugar

A EFAPEL voltou a destacar-se numa prova do calendário velocipédico nacional, desta feita, o Grande Prémio Anicolor. A formação de Ovar lutou pela vitória com Rafael Silva, que foi o quarto a cortar a meta após um disputado sprint ganho por César Fonte, e levou duas camisolas para casa, a azul e a vermelha. Uma respectiva à classificação da montanha e a outra à classificação dos pontos quentes. O ciclista que subiu ao pódio para as envergar foi Álvaro Trueba.

Num dia em que os corredores discutiram a última prova pontuável para a Taça de Portugal de 2016, a EFAPEL entrou em competição com vários objectivos em mente. Queria discutir o primeiro lugar e fê-lo com Rafael Silva. Além da procura pela vitória, ainda conseguiu entrar na “guerra” das camisolas e conseguiu duas. Álvaro Trueba foi o corredor da EFAPEL que mais se destacou neste particular, pois foi quem conseguiu as duas conquistas.

Classificação no Grande Prémio Anicolor

    César Fonte            RP/Boavista        3h46m56s

    Bruno Sancho            Anicolor        mt

    Daniel Lopes            Burgos/BH        mt


    Rafael Silva            EFAPEL        mt

15º    António Barbio        EFAPEL        mt

68º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 5m22s

69º    Álvaro Trueba        EFAPEL        mt

73º    Hélder Ferreira        EFAPEL        mt

Fonte: Efapel

“Taça de Portugal de Elite”

César Fonte vence em Águeda mas Ignácio Pérez leva a Taça

O português César Fonte (Rádio Popular-Boavista) venceu o Grande Prémio Anicolor, última prova da Taça de Portugal de Elite, disputada em Águeda. O espanhol Juan Ignácio Pérez (W52-FC Porto) conquistou a Taça de Portugal, sucedendo ao compatriota Diego Rubio.

Os derradeiros 164,4 quilómetros da Taça de Portugal de Elite tiveram início e final em Águeda, atravessando, sob calor intenso, algumas das áreas que mais têm sido fustigadas pelos incêndios.

O perfil sinuoso da corrida não impediu um pelotão de 30 unidades de discutir a prova ao sprint. César Fonte foi o mais rápido, não deixando Bruno Sancho (Anicolor), segundo classificado, imitar o feito do irmão Hugo, vencedor ontem em Mortágua. O terceiro foi o espanhol Daniel López (Burgos BH).

Outro espanhol, Juan Ignácio Pérez, que partiu para este Grande Prémio Anicolor na segunda posição da geral da Taça, foi o sétimo a cortar a meta. Amealhou 40 pontos, pecúlio suficiente para se proclamar vencedor da edição de 2016 da Taça de Portugal.

Juan Ignácio Pérez chegou ao fim do troféu com 170 pontos, mais 11 do que o luso Luís Mendonça (Sicasal/Constantinos/UDO). A vitória elevou César Fonte ao pódio da classificação geral, com 156 pontos.

Coletivamente, a Anicolor ganhou o Grande Prémio com o nome da equipa. Álvaro Trueba (Efapel) impôs-se na montanha e nos pontos quentes, César Martingil (Liberty Seguros/Carglass) venceu as metas volantes e Daniel López foi o melhor jovem.

Fonte: FPC

“André Cunha oitavo no Circuito da Silveira”

Realizou-se a 30ª edição do Circuito da Silveira, com a nossa equipa Jorbi-Team José Maria Nicolau a estar em evidência, com dois atletas no Top-10 da classificação geral, André Cunha em oitavo e Sandro Branco em décimo. Coletivamente a nossa equipa classificou-se na quarta posição.

Para a história da corrida, fica uma fuga de três elementos, que se formou logo nas voltas iniciais do circuito, e que conseguiu chegar a linha de meta para discutir a vitória, com as posições seguintes a serem disputadas pelo pelotão, onde os nossos atletas conseguiram alcançar dois lugares no top-10, André Cunha em 8ºe Sandro Branco na 10ª posição.

Também na prova de cadetes, participaram os nossos atletas Rafael Mateus e Duarte Bento, que se mostraram-se combativos, mas acabaram por não aguentar o forte ritmo imposto pelos adversários, eles que fazem a sua estreia no pelotão de cadetes.

Classificação:

André Cunha –8º classificado;

Sandro Branco –10º classificado;

Bernardo Norte –21º classificado;

João Silva –27º classificado

Rafael Espadinha –30º classificado

Equipa:

4ºlugar

Fonte: Clube de Ciclismo José Maria Nicolau