segunda-feira, 30 de maio de 2016

A Selecção Portuguesa de Juniores em 18º no Tour do Pays de Vaud com João Almeida em 13º.

Depois de no ano anterior Tiago Antunes se ter qualificado em 14º, este ano João Almeida alcança a 13ª posição melhorando em uma posição a prestação portuguesa.

Esta prova conta com os melhores atletas da actualidade em juniores, onde Portugal tem vindo a melhorar a sua qualificação individual.

Em clara aposta no permitir e potenciar a continuidade desta melhoria o seleccionar José Poeira tem chamado a esta prova sempre um misto de atletas, em que junta uns que a correm pela primeira vez a outros que a repetem pelo segundo ano, permitindo assim o mais fácil passar do conhecimento para enfrentar prova muito dura e selectiva, tendo Convocado os atletas Daniel Silva e Diogo Ferreira (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense) para em conjunto com Daniel Viegas e João Almeida actualmente na (Bairrada) que na época anterior representaram também eles a (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense), junto com João Baptista (Sporting/Taira/Formação Eng. Brito da Mana), e Fábio Silva (ACDC Trofa) fazendo um total de 6 atletas.

Para os atletas da Sicasal – Liberty Seguros – Bombarralense esta convocação é encarada como merecida, depois de todo o trabalho desenvolvido para dignificar as cores do Bombarralense tiveram a oportunidade ajudar a glorificar as cores nacionais e participar na Suíça em Prova da Taça das Nações.

O Tour do Pays de Vaud é uma das corridas mais exigentes do calendário mundial de juniores, disputando-se numa região montanhosa. Teve a abertura com um prólogo de 3,7 quilómetros, entre Mézières e Carrouge, disputado em sistema de contrarrelógio individual, no final da tarde da passada quinta-feira.

A primeira etapa em linha ligou Bofflens a Apples, ao longo de 118 quilómetros, tendo ocorrido o seu início pelas 14h30 de sexta-feira. Era a etapa mais suave das etapas em linha, mas com um acumulado de subida de 1307 metros junto com o muito frio e chuva, rapidamente se transformou também numa etapa muito dura que ditou que Daniel Silva e Diogo Ferreira da Sicasal - Liberty Seguros - Bombarralense e João Baptista (Sporting/Taira/Formação Eng. Brito da Mana) cedessem muito tempo chegando á meta fora de controlo, o que viria a impedir de alinhar e continuarem em prova e assim poderem ajudar os colegas.

Já no sábado a dupla jornada iniciou-se pelas 8h00 para a segunda etapa, 80,3 quilómetros, desde Ballaigues até Orbe. Apesar de curta, apresentou um desnível acumulado de 1692 metros. Já pelas 13h30 do mesmo dia decorreu o contrarrelógio individual de 12,1 quilómetros, em Orbe.

A etapa rainha estava guardada para o fim. Foi disputada no domingo, a partir das 8h00, ao longo de 105,7 quilómetros, que somou 1754 metros de acumulado, na viagem de Penthalaz até Vufflens-La-Ville.

Nesta prova a equipa portuguesa defrontou países como França, Dinamarca, Alemanha, EUA, Itália, Bélgica, Rússia, Noruega, Eslovénia, Holanda, Suíça, Áustria, Cazaquistão, Luxemburgo, República Checa, Japão, Eslováquia e Marrocos.

A prestação portuguesa foi de sabor agri-doce, pois no ano anterior Tiago Antunes conseguiu alcançar o 14º lugar, este ano João Almeida alcançou a 13ª posição, melhorando em uma posição a prestação portuguesa, mas na qualificação colectiva no ano anterior Portugal conseguiu se qualificar em 6º lugar e este ano apenas alcançou o 18º. Não sendo possível a Portugal na qualificação colectiva alcançar o objectivo de se qualificar dentro do top 10.

Nas palavras do Selecionador Nacional José Poeira “Coletivamente ficámos aquém do que pretendíamos. A maior parte da nossa equipa não conseguiu adaptar-se ao ritmo e à qualidade de uma prova da Taça das Nações. Individualmente, o João Almeida esteve bem, tanto a subir como no contrarrelógio. O 13.º lugar final acaba por ser positivo e melhor uma posição o nosso resultado de há um ano”

Fonte: Bombarralense

Sem comentários:

Publicar um comentário