segunda-feira, 5 de agosto de 2019

“Volta a Portugal/Di Basco regressa onde foi feliz”

Italiano ganhou duas etapas na Volta’95 e uma em 1996

Por: Pedro Filipe Pinto

Foto: João Fonseca

A Amore & Vita-Prodir é uma das equipas estrangeiras presentes nesta edição da Volta a Portugal. A constituição deste conjunto dever ser praticamente desconhecido para o público português, mas o diretor desportivo adjunto foi reconhecido desde o primeiro dia. Trata-se de Alessio di Basco, antigo sprinter italiano que festejou três vitórias na Portuguesa, duas em 1995 e uma em 1996, ficando também conhecido como o ‘pesadelo das meninas do pódio’.

Neste regresso a Portugal, o italiano, já com 54 anos, não poderia estar mais feliz, visto que a sua equipa já leva duas vitória. "Prometemos à nossa fornecedora de bicicleta, a Jorbi, que ganharíamos a primeira etapa em linha, porque é a que abre e que todas as equipas querem ganhar. Conseguimos com o Davide Appolonio e isso foi muito bom", refere a Record, mostrando-se ainda mais feliz com a vitória de Marco Tizza: "Eu quero sempre mais e aí está! Que grande vitória do Marco. Excelente não poderia estar mais feliz. Agora porque não mais uma? Vamos continuar a lutarpela melhor classificação possível na geral."

O mais bem colocado da equipa sediada na Letónia é Danilo Celano, corredor em quem Alessio di Basco deposita grandes expectativas: "Esteve muito bem na Torre. Está a crescer dia após dia e, por isso, temos a esperança de conseguir ganhar uma etapa com ele."


Amor pela Volta

Passados tantos anos depois da última participação na Volta a Portugal, Alessio di Basco não perdeu o amor por esta prova. No entanto, admite muitas mudanças. "Ganhei aqui em Portugal em 1995 e 1996. A Volta era uma corrida linda, fantástica, sempre gostei muito de correr aqui. Mas este ano percebo que mudaram algumas coisas, as pessoas, a corrida, as equipas… muitas coisas. Precisávamos de estar a falar muito tempo para te dizer todas as diferenças", afirma.


Escudeiro de Cipollini

As décadas de 80 e 90 foram ricas em sprinters de grande qualidade, com um especial destaque para Mario Cipollini. Di Basco foi companheiro do recordista de vitórias na Volta a Itália (42) na Saeco, nas temporadas 1996 e 1997, e lembra esses momentos. "Eu era um bom sprinter numa era de muitos sprinters excelentes! Havia o Sean Kelly, o Van Poppel, Cipollini… o Mario era de outro mundo e foi muito bom correr ao lado dele", conclui.

Fonte: Record on-line

Sem comentários:

Enviar um comentário