quinta-feira, 30 de novembro de 2017

“Giro renuncia à designação 'Jerusalém Ocidental'”

Reação após ameaças do governo de Israel

Por Lusa

Foto: EPA

A organização da Volta a Itália satisfez esta quinta-feira a exigência do governo de Israel, alterando, na sua página oficial em inglês, a designação de Jerusalém Ocidental por Jerusalém. No site do Giro em inglês, que após a apresentação do percurso, na quarta-feira, em Milão, apresentava Jerusalém Ocidental como ponto de partida da 101.ª edição, pode agora ler-se apenas Jerusalém.

Na quarta-feira, o governo de Israel ameaçou os organizadores da Volta a Itália de cancelar o acordo para acolher o arranque da 101.ª edição, depois de, durante a apresentação do percurso, estes terem dito que a prova iria partir de Jerusalém Ocidental.

"Em Jerusalém, capital de Israel, não há este ou este. Há uma única Jerusalém unificada", frisaram os ministros israelitas do Desporto, Miri Regev, e do Turismo, Yariv Levin, num comunicado conjunto.

Ambos acusaram os organizadores do Giro quebrarem "os acordos com o governo israelita" durante a apresentação do percurso da 101.ª edição, que vai decorrer de 4 e 27 de maio, entre Jerusalém e Roma.

"Se a denominação escrita [na indicação do percurso] não mudar, o governo israelita não será parceiro deste evento", ameaçaram os ministros.

Questionados hoje sobre a mudança de designação, os organizadores da 'corsa rosa' justificaram que a designação Jerusalém Ocidental foi usada, num primeiro momento, por questões "meramente técnicas", uma vez que a prova vai partir dessa zona da cidade.

Os ministros do Desporto e do Turismo israelitas já reagiram, mostrando-se felizes "com a pronta decisão" dos organizadores.

Pela primeira vez na sua história, a Volta a Itália vai iniciar-se fora da Europa, com o arranque a ser dado, a 04 de maio, com um curto contrarrelógio na zona oeste de Jerusalém, em redor dos lugares mais simbólicos da cidade.

Jerusalém Oriental, a parte palestina da cidade, está ocupada desde 1967 e foi anexada em 1980 pelo Estado israelita, que proclamou a cidade como a sua capital indivisível. A anexação de Jerusalém Oriental não é reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Fonte: Record on-line

Sem comentários:

Publicar um comentário